Como funciona a redação da UEMG

Roberta Rinaldi Dicas de Redação

O vestibular da UEMG acontecerá no primeiro domingo de 2018, dia 7 de janeiro. Como na grande maioria dos processos seletivos, há a exigência de uma Redação. Elaboramos este post para esclarecer como ela funciona e quais são as particularidades às quais você deve ficar atento e se preparar! 😉

A principal dúvida em relação ao vestibular está relacionada ao gênero cobrado. Diferente do Enem, a UEMG não estabelece um padrão. No edital, a instrução é de que o candidato deverá produzir um texto no formato de um gênero discursivo a ser definido, abordando o tema proposto.

Observe abaixo as propostas oficiais dos últimos 5 anos:

2017 – Um texto dissertativo sobre o tema “A “uberização” do trabalho na era tecnológica: precarização ou liberdade?

2016 – O texto de uma campanha de conscientização sobre “O respeito à diversidade estética e cultural em seu país, de modo a combater preconceitos”. O título deveria ser um slogan criativo.

2015 – Um texto dissertativo-argumentativo, discutindo “A organização social do trabalho”.

2014 – Um texto dissertativo-argumentativo, que deveria problematizar “O significado social e psicológico das relações amorosas”.

2013 – Um artigo de opinião, para ser publicado em um blog, problematizando “A liberdade de imprensa”.

É importante estudar o maior número possível de gêneros textuais para o vestibular da UEMG. Afinal, você só saberá na hora da prova qual deles precisará desenvolver. O objetivo desse método de avaliação “surpresa” é analisar como o candidato desenvolve suas ideias em uma situação discursiva inesperada. Mas não se preocupe, os gêneros são comuns, possivelmente foram muito trabalhados ao longo da trajetória escolar e facilmente identificáveis aos bons leitores.

Entenda os 4 critérios de correção, segundo o edital do vestibular 2018:

  • Adequação à proposta de redação: diz respeito à abordagem do tema proposto, à capacidade de seguir a instrução dada e interpretar os textos motivadores.
  • Macroestrutura textual: serão avaliados os aspectos pragmático-discursivos, tais como: domínio do tipo textual e do gênero discursivo cobrados, paragrafação, progressão textual, organização da informação, estratégias de interlocução, intertextualidade com os textos da proposta e com demais textos, atribuição de título e uso adequado do espaço da folha de redação.
  • Microestrutura textual: trata-se dos aspectos formais da língua: ortografia, morfologia, pontuação, colocação dos termos da oração e do período, paralelismo sintático, regência, concordância, uso de recursos coesivos, articuladores textuais, relações lógico-semânticas, uso de referenciadores e pronomes, emprego de tempos e modos verbais.
  • Expressão: avaliar a exposição de ideias, linha de raciocínio, mobilização de conceitos, coerência, argumentação, capacidade de persuasão, análise e defesa de pontos de vista, conhecimento de mundo/repertório cultural, seleção e propriedade vocabular.

Redações que não atenderem ao gênero proposto ou não apresentarem o número mínimo de 6 linhas serão anuladas.

O número máximo de linhas são 26. Esse espaço reduzido é, também, mais uma forma de avaliação, neste caso quanto à capacidade de concisão do candidato ao mesmo tempo em que é completo.

A Redação será avaliada em 24 pontos.

A banca de correção dá muito valor à crítica e à reflexão do aluno em relação aos temas. É importante saber interpretar bem os elementos apresentados, ler com atenção os textos motivadores e saber relacionar de forma eficiente as ideias ao longo da redação.

Veja AQUI nossos temas do vestibular e comece a aprimorar sua escrita para se dar bem no vestibular!

Até a próxima 🙂

Vamos debater sobre?