Diferença entre texto expositivo e argumentativo

Roberta Rinaldi dos Corretores

Ao avaliarmos uma redação, é comum nos depararmos com textos muito descritivos, cheios de exemplos, dados e referências. Essas são características essenciais para a composição de um bom texto, porém, quando elas não são exploradas e fundamentadas em defesa de um ponto vista, tornam o texto não adequado ao gênero.

O gênero textual cobrado no Enem é o dissertativo-argumentativo:

DISSERTAR é expor, apresentar informações, informar. Não há defesa de opinião.

ARGUMENTAR é defender um ponto de vista, tentar convencer o leitor.

Para atender ao gênero dissertativo-argumentativo do Enem, necessariamente precisamos cobrar que o texto seja explorado em ambas as partes, ou seja, dissertativa e argumentativa.

Analise o parágrafo a seguir:

  • “Segundo o filósofo Jean Paul Sartre, ‘a violência, independente de como ela se manifesta, é sempre uma derrota’. O Ministério da Saúde estima que 2 em cada 5 pessoas atendidas nos hospitais sofreram agressões logo após efetuar um crime. Apesar das leis específicas para punir quem faz justiça por si mesmo, a vingança pelas próprias mãos aumentou segundo a mídia ‘Record TV’, mostrando que o problema ainda persiste.”

Perceba que o parágrafo apresenta uma série de informações, mas não sabemos ao certo para qual propósito elas aparecem ali. Quais são as causas dessa persistência? Quais são as consequências? O aluno discorreu sobre os dados de forma superficial, sem nenhum artifício para convencer o leitor sobre a gravidade da situação. Este parágrafo está incompleto e inadequado.

Veja o próximo exemplo:

  • “Primeiramente, é importante destacar que o sistema judiciário do país vem enfrentando dificuldades para processar todas as ações judiciais no tempo previsto pelo código de processos penais. Segundo uma pesquisa da SENASP (Secretaria Nacional de Segurança Pública), só no Ceará a média para a resolução de um crime é de, aproximadamente, oito anos. Logo, o atual panorama contribui significativamente para o aumento da sensação de impunidade, levando indivíduos a cometerem crimes e outros ao impulso de promover justiça com as próprias mãos.”

Repare que o autor utiliza os dados como base daquilo que ele defende, ou seja, é uma estratégia: trazer credibilidade com as informações que apresenta.

  • Geralmente, quem só expõe fica preso às ideias apresentadas nos textos motivadores, que só foram disponibilizadas para direcionar e despertar a reflexão sobre o tema.
  • Oriente o aluno sobre a melhor forma de modalizar o discurso e problematizar o assunto, não simplesmente diga que está sendo expositivo, pois dificilmente ele saberá como sair da situação.
  • Os parágrafos de argumentação devem apresentar tópicos frasais, ou seja, uma declaração inicial que é afirmativa ou negativa a respeito do que se discute e vem logo no início do parágrafo, como uma espécie de introdução do argumento que ali será exposto.
  • O tópico frasal é um direcionamento ao aluno para que haja problematização e defesa de um aspecto que ele considera relevante.
  • O aluno deve explorar o tópico colocando informações que comprovem, exemplifiquem e fundamentem o argumento. Dessa forma, o parágrafo ficará completo.

Em casos de inadequação, penalize o aluno nas competências II (considerando os limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo) e III (por ter sido pouco eficiente na seleção e relação de ideias em defesa do ponto de vista).

Até a próxima e bom trabalho!

Vamos debater sobre?