Mudanças no Enem 2019

Kamila Dantas Notícias 0 Comments

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 já estão marcadas para o dia 3 e 10 de novembro em todas as regiões do país.

A novidade deste ano é uma nova diagramação das provas para economizar papel. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as folhas de rascunho personalizadas, que geram um custo enorme, serão substituídas por espaços em branco nos Cadernos de Questões. Esses espaços servirão de apoio aos candidatos na hora de elaborar os cálculos e a redação.

O Inep prevê outras mudanças para gerar uma economia de R$ 42 milhões na aplicação de exames e avaliações.

Uma delas altera a forma de obter os dados biométricos dos estudantes. A partir deste ano, será adotada uma pequena esponja que permite a coleta da digital e pode ser utilizada mais de três mil vezes. Até o ano passado, isso era feito por uma lâmina de grafite.

A outra redução está relacionada a capacitações dos colaboradores envolvidos com a aplicação. O volume de capacitações presenciais será reduzido e haverá ampliação e melhorias no formato de Educação a Distância (EAD) por meio de uma plataforma online. A medida promete eliminar gastos com passagens aéreas e terrestres, hospedagem, aluguel de salas e auditórios em diversas partes do País.

Todas essas ações são resultado do Programa de Redução de Custos e Otimização dos Recursos Logísticos, um dos seis pilares do Programa de Modernização do Inep.

O presidente do Inep, Marcus Vinicius Rodrigues, credita essa economia à criatividade e às negociações adotadas, desde janeiro, pela nova gestão do Instituto. “Essa redução de custos, de R$ 42 milhões, pode ser ainda maior”, disse ele. “Ao longo do ano, com a contribuição de consultores contratados, pretendemos diminuir ainda mais os custos a partir da redução de despesas adicionais. Todas as medidas de economia estão sendo adotadas de forma a manter a qualidade na impressão, distribuição, monitoramento, segurança e aplicação dos exames do Inep.”

Vamos debater sobre?

Deixe uma resposta