Aula de redação: a adequação ao tema na redação do ENEM

Rodrigo de Oliveira dos Corretores

Estruturar uma sequência didática específica para preparar os alunos a adequarem seus textos ao tema proposto na redação do ENEM não é tarefa das mais fáceis, mas é absolutamente necessária. Boa parte dos candidatos tem dificuldade de alcançar os 200 pontos possíveis nessa competência, a segunda que é a analisada pelos avaliadores. Neste post, vamos trazer algumas recomendações para que você consiga organizar um conjunto de atividades para apoiar os estudantes nesse desafio.

Como sugestão inicial aos professores, é importante que estejam alinhados os critérios de avaliação de cada um dos itens. Nós fizemos um post específico sobre o assunto que passa sobre todas as competências do ENEM. Ao acessar o link, recomendamos a leitura específica do segundo item: “Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo”. Afinal de contas, ao ter um bom domínio do que é exigido fica mais fácil estruturar as aulas dentro da expectativa que os avaliadores terão ao ler a produção textual dos candidatos.

Ressaltamos, ainda, que essa segunda competência, é uma falha bastante frequente entre os inscritos no ENEM. Ela avalia bem a capacidade de interpretação do texto que o candidato possui, pois ao fugir do tema ele demonstra um indício de não ter conseguido compreender a proposta da prova. Pelo fato de terem textos de apoio na exposição do tema, mesmo que não tenha domínio sobre o assunto, o aluno em tese tem condições de atender a esse pré-requisito.

Viu só o tamanho do desafio que essa questão nos reserva? Pensando nela, gostaríamos de sugerir a sequência didática:

1º passo: Sensibilização do tema junto aos alunos

A primeira estratégia sugerida é atuar na identificação do assunto junto aos estudantes, demonstrando-lhes o quanto a falta de adequação ao tema pode comprometer a nota final. Esse critério, aliás, é interligado a outros. Pois, ao não ter uma boa compreensão do assunto, ele pode induzir ao erro na argumentação e na proposta de intervenção. É importante trazer os alertas quanto aos desafios que um mesmo tema carrega. Nesse contexto, deve-se mencionar que, embora numa primeira vista, os assuntos possam parecer abrangentes, o recorte é o melhor caminho para evitar fugir ao tema.

2º passo: Identificação coletiva das possibilidades dentro do tema

Uma boa saída que pode ajudar nesse processo de identificação do tema pode ser feita de maneira coletiva. Após a exposição inicial, você pode elencar um tema atual, que esteja inserido no contexto dos alunos. A partir disso, você pode colocar uma palavra-chave na lousa para que os alunos tragam que abordagens são possíveis dentro daquela única palavra colocada. Explore bastante o universo de possibilidades, quanto mais rico for, mais evidenciado podem ficar os caminhos que o aluno pode seguir (o que demonstra o perigo de fugir ao tema).

3º passo: Compartilhar textos de apoio

Na sua sequência didática, você pode compartilhar ainda textos de apoio (também conhecidos como textos motivacionais) que foram usados em edições anteriores do ENEM. Isso facilitará para que eles tenham contato com recursos utilizados na avaliação, para que se familiarizem com os formatos e saibam identificar possíveis perigos que possam levar a sair da rota do tema indicado.

4º passo: Rodas de leitura em texto

Essa é outra possibilidade que você incrementar em sua sequência didática, para facilitar a compreensão do aluno diante dos textos apresentados acima. Uma saída é oportunizar a leitura em grupo, para que seja discutido o entendimento em torno do assunto. A socialização do que foi discutido pode ser uma estratégia que ajude os alunos a entender por uma perspectiva bem mais fácil os materiais de apoio. Também pode ser instigado nos estudantes a identificação de alternativas poderiam resultar na fuga ao tema apresentado (sempre no intuito de alertar).

5º passo: Trazer exemplos de textos anteriores do ENEM

Como essa competência está bem ligada à capacidade de interpretação, sugerimos dar sequência a outro recurso para estimular o raciocínio, de acordo com as necessidades de alunos na prova do ENEM. Nesse contexto, você pode recorrer a redações que tiveram um desempenho nota 1000 em edições anteriores do exame e trazer como exemplo para que alunos avaliem e apresentem, de acordo com a percepção deles, qual tema norteou a redação.

6º passo: Exercício a partir de textos motivacionais

Ao término dessa sequência, podem ser apresentados temas para que os alunos tenham oportunidade de colocar a mão na massa e treinar com a prática de redação. Nós escrevemos em posts anteriores, como adequar aulas práticas de redação (convite estendido também no planejamento desse tópico). Além disso, para um olhar mais atento e individualizar aos alunos, sugerimos a adesão de plataformas de correção de textos, estratégia adotada por escolas que têm conseguido alavancar o desempenho de seus estudantes.

Por fim: é importante fortalecer bastante a capacidade de interpretação dos alunos. Isso poderá ajudá-los a se desenvolver neste e nas demais competências que são exigidas pelos estudantes.

Até a próxima!

 

Vamos debater sobre?