6 regras básicas de acentuação gráfica

Roberta Rinaldi Dicas de Português

É comum que de vez em quando nos esqueçamos de acentuar as palavras. Além disso, principalmente depois da última Reforma Ortográfica da Língua Portuguesa, na qual algumas regras mudaram, muitas dúvidas surgem quanto à acentuação. Esquecer um acento pode comprometer o sentido de uma palavra, consequentemente a coesão textual, levando ao desconto de pontos na competência I da redação (entenda AQUI). Por isso é tão importante acentuar corretamente. Para que você não seja mais prejudicado quanto a isso, elaboramos este post para te ensinar as regras básicas de acentuação gráfica.

Para começar, precisamos garantir que você saiba quando uma palavra é oxítona, paroxítona ou proparoxítona.  

Em todas as palavras, há uma sílaba que é pronunciada com maior força e intensidade. Ela é chamada de sílaba tônica.

  • Quando a última sílaba é a mais forte, a palavra é oxítona.
  • Quando a penúltima sílaba é a mais forte, a palavra é paroxítona.
  • Quando a antepenúltima sílaba é a mais forte, a palavra é proparoxítona.

Agora vamos às regras de acentuação 😉

1) Palavras oxítonas que terminam em a(s), e(s), o(s), em e ens ou em ditongos abertos, como éi(s), éu(s) e ói(s) devem receber o acento.

Exemplos: Amapá, canapé, jiló, armazém, reféns, papéis, troféus, lençóis.

2) Palavras paroxítonas que terminam em l, i(s), n, u(s), r, x, ps, ã(a), ão(s), um e uns ou em ditongos crescentes (seguidos de “s” ou não) devem ser acentuadas.  

Exemplos: Notável, tênis, pólen, bônus, repórter, tórax, bíceps, ímã, sótão, fórum, álbuns.

3) Todas as proparoxítonas são acentuadas!

Exemplos: Matemática, trânsito, farmacêutico, estético, pálido, México.

4) As vogais i e u quando forem tônicos (seguidos ou não de “s”) e formarem hiato com a vogal anterior, desde que não sejam seguidos por “-nh”, deverão receber o acento.

Exemplos: Juízo, Luís, cafeína, raízes, saída, egoísta.

5) Não há mais trema nas palavras da Língua Portuguesa. Usa-se apenas em nomes próprios estrangeiros, como Müller e Bündchen.

 6) O acento diferencial não é mais necessário para as palavras homógrafas, salvo para os verbos “poder” e “pôr”. Entenda:

“Ele não pôde vir ontem, mas pode vir amanhã.” > (Para diferenciar Presente e Pretérito Perfeito).

“O ideal é pôr a camisa por cima da outra.” > (Para diferenciar o verbo da preposição).

Não é tão difícil quanto parece, basta praticar e conferir sempre. Use este material como apoio na hora de escrever a redação e não perca pontos de bobeira, hein?

VEJA TAMBÉM: REGRAS DE USO DA VÍRGULA

Bons estudos, até a próxima! 😉

Vamos debater sobre?