A eficiência da política antidrogas brasileira

Envie sua redação para correção
    É notório que a política adotada pelo governo brasileiro em relação às drogas trás divergências de opiniões, principalmente em relação aos  mais conservadores e também para os liberais. Uns pensam que o melhor seria criar mais punições, já os outros acreditam que o melhor seria liberar para o consumo recreativo.
          Observa-se que, apesar das políticas antidrogas existentes no Brasil, o números de traficantes presos não diminuiu, pelo contrário, teve um aumento de 339% desde a criação da Lei de Drogas em 2006. Tomando por base essa porcentagem, podemos concluir que "repressão" não é uma solução eficiente e, nesse caso, pode acabar ocasionando uma superlotação de presídios no futuro.
          Uma das soluções que foram testadas em países como Holanda e Portugal que poderia ser aplicada aqui no Brasil é a descriminalização e criação de estabelecimentos de vendas para certos tipos de drogas, como por exemplo: maconha. Iria aumentar a taxa de emprego, renda e deixaria o mercado do tráfico em crise, pois, entre comprar um produto com o traficante e comprar num estabelecimento licenciado, sem dúvidas a população iria no estabelecimento.
          Como se vê, essa é uma questão que deve ser analisada não apenas em suas causas, mas também em suas soluções. Apesar do governo declarar guerra às drogas, talvez a melhor solução seria declarar paz.