A eficiência da política antidrogas brasileira

Envie sua redação para correção
    O filme Cidade de Deus estreado em 2002 representou a problemática das drogas no Brasil. Por meio do cinema, essa questão foi retratada com verossimilhança ao destacar a relação entre o tráfico e a inserção  de jovens no mundo das drogas. Nesse sentido, é fundamental analisar a política antidrogas brasileira uma vez que essa tem se mostrado ineficiente tanto na adoção de medidas preventivas, quanto no combate às raízes desse mal.
          Cabe ressaltar, em primeiro plano, que as medidas profiláticas já existentes não tem cumprido seu papel. O motivo da falha das políticas de prevenção se relaciona ao fato de serem voltadas a campanhas publicitárias como panfleto e propagandas que pouco tem eficácia na  conscientização contra as drogas. Isso se confirma com a afirmativa do filósofo Rousseau "a sociedade é que corrompe o Homem". Destarte, um dos principais fatores que levam os indivíduos a se tornarem usuários químicos é a influência do próprio meio. Diante disso, medidas profiláticas eficientes seriam aquelas cujo direito de educação e lazer estariam não só garantidos, mas reforçados a fim de evitar que áreas de maios incidência de drogas corrobore o determinismo social.
          Também é importante destacar que as políticas antidrogas no país falham no combate ao tráfico. Prova disso se percebe nas intervenções policiais nas favelas que despertam uma verdadeira guerra entre traficantes e a polícia. Essa política repressiva e violenta já levou a morte de 10 mil pessoas nessas regiões, incluindo crianças e adolescentes que infelizmente convivem com essa realidade. Outro erro dessa medida é que prioriza o combate ao microtráfico nas periferias que serve de máscara pra o jogo de interesses das elites onde encontram os macrotrficantes. Por conseguinte, essa medida de combate ao comércio ilegal se mostra ineficiente uma vez que se pauta na violência contra grupos inferiores.
          Portanto, é necessário que mudanças sejam feitas no Brasil, no sentido de tornar as políticas antidrogas eficientes. Diante disso, além do apoio ao dependente químico com centros de reabilitação, é necessário que o Governo desenvolva e aplique projetos de educação e lazer em áreas de maior incidência de drogas, por meio da integralização das escolas com projetos semanais que ofereça acesso ao esporte e à cultura como cinema e teatro, para que as crianças e jovens sejam mantidos distantes da influência negativa do meio, evitando assim, o acesso às drogas. Ademais, é fundamental que se amplie a fiscalização nos setores de distribuição das drogas, no intuito de combater o tráfico.