Envie sua redação para correção
    Segundo a ex-diretora geral da OMS,Margaret Chan,cerca de quinhentos mil pessoas morrem ao ano devido à tendência mundial de política de guerra às drogas.No Brasil , essa tendência não é diferente;policiais,usuários e traficantes diuturnamente  morrem nessa contenda sem fim e o problema das drogas não é resolvido,pelo contrário, ele é aumentado.Tendo essa conjuntura em vista,depreende-se que a repressão não resolverá o problema.Assim,faz-se urgente uma política diametralmente oposta,a de liberalização das drogas e sua regulamentação.
     Primeiramente,a própria história é testemunha de que a política de restrição citada não é funcional.Por exemplo,no século passado os EUA  implementaram a Lei Seca,que proibiu a produção e consequentemente o consumo de bebidas alcoólicas.Esse ordenamento jurídico não obteve resultado algum.A população,independente da lei,continuou a beber,só que seus fornecedores passaram a ser perigosos mafiosos,que usavam de coerção e até mortes para manter seu lucrativo negocio.Em outras palavras,a proibição do álcool só fortaleceu um poder paralelo ao estado  portanto , trouxe morte e violência,além de também fomentar as pessoas a ingerir o entorpecente de fonte duvidosa,assim criando um problema de saúde  .Assim sendo,analogamente,denota-se que o problema dos entorpecentes no Brasil só é potencializado por uma política repressiva;deve-se ter noção que assim como o álcool,as drogas são um problema de saúde pública e não da esfera policial.
     Com o exposto em vista,uma mudança radical e inadiável deve ser feita,as drogas devem ser liberadas e regulamentadas,tal qual o tabaco e as bebidas alcoólicas.Para isso,a sociedade civil organizada e diversas ONG's e instituições,como a OAB e o PROAD, devem pressionar o Congresso Federal e o Poder Executivo para abolir a nefasta política de repressão e implementar a política mais humanitária,que cada pessoa terá sua autonomia de ser usuário sem ter seus direitos violados,pelo contrário,a pessoa deve ter  ajuda médica e a substância fornecida pelo próprio Estado,visando assim diminuir gradualmente o consumo.Deste modo,com a nova política em vigor,os níveis de violência no país poderão decrescer exponencialmente,diversas vidas serão salvas.Fora isso será observado uma expressiva melhora na saúde pública,o entorpecente terá sua composição menos danosa quando de procedência garantida pelo governo.
     Por fim,com esses argumentos em vista,pode-se perceber que os problemas não devem ser resolvidos com violência e repressão,mas com compreensão e liberdade individual.Como disse Nelson Mandela : "Ser pela liberdade não é apenas tirar as correntes de alguém, mas viver de forma que respeite e melhore a liberdade dos outros."