A eficiência da política antidrogas brasileira

Envie sua redação para correção
    No século XX, se tornaram famosas as histórias de traficantes como Pablo Escobar, os quais se tornaram bilionários realizando contrabando de drogas, nesse sentido, esse tipo de traficante - responsável por abastecer os traficantes do varejo -, ainda existe, porém, não se vê na mídia informações sobre quem são. Nesse sentido, o combate ao tráfico brasileiro se resume a atacar os traficantes que comercializam as drogas nas ruas, deixando de lado os verdadeiros magnatas do tráfico. Desse modo, medidas precisam ser estabelecidas para que o combate ao tráfico de drogas seja efetivo.
      Em primeira análise, é de desconhecimento público a identidade dos traficantes da alta sociedade. Nesse contexto, sabe-se, apenas que, provavelmente, segundo a Policia Federal (PF), os verdadeiros traficantes estejam ligados à agricultura e pecuária. Isso se evidencia, pois a PF já realizou diversas apreensões de drogas em cargas ligada a essa indústria, como exemplo, uma carga que levava carne bovina para a Europa foi apreendida no porto de Santos com cocaína escondida dentro do produto. Portanto, é notável que o desconhecimento da PF sobre a identidade desses meliantes é fruto de um governo que não da a devida importância para o encarceramento desses traficantes da alta sociedade.
      Outrossim, o combate ao tráfico de drogas, no Brasil, se resume, em geral, ao embate entre os pequenos traficantes - responsáveis por vender a droga para a população - e os policias. Isso se prova nas declarações da polícia e dos políticos brasileiros, como prova, o candidato a presidência da república, Jair Bolsonaro, quando discorre do tema segurança pública, seu discurso focaliza apenas em combater o crime com a repressão armada. Portanto, esse tipo de argumentação, o qual é padrão entre as autoridades brasileiras, permite concluir que o principal caminho seguido para o combate ao tráfico é o embate, deixando de lado o aspecto investigativo para com os verdadeiros traficantes.
      Como se observa nos fatos supracitados, o combate ao tráfico de drogas brasileiro é feito de forma equivocada pelas autoridades. Diante disso, o Estado deve mudar a sua abordagem ante o trafico, por meio de garantir maiores investimentos para que PF possa realizar investigações sobre a produção e origem da droga, além de aumentar as abordagens policias nas fronteiras e nas rodovias, buscando evitar que os entorpecentes cheguem ao destino final. Ademais, o Governo deve criar campanhas voltadas ao esclarecimento para a sociedade dos riscos de usar drogas e se envolver com traficantes, assim, enfraquecendo o tráfico por diminuir os seus consumidores. Somente dessa forma o Brasil passará a realizar um efetivo embate ante o tráfico de drogas.