A eficiência da política antidrogas brasileira

Envie sua redação para correção
    Segundo o sociólogo Émile Durkheim, o governo de um país deve garantir a sua população o direito a vida, a segurança e a liberdade de ir e vir. Entretanto, analisando a atual conjuntura, em relação a chamada política de combate as drogas, o Brasil vem em contra mão à esses ideais. Enquanto outros países vem tratando essa adversidade como problema de saúde pública, o Brasil trata como caso de polícia, aumentando a repressão e adotando medidas ineficazes, que aumentam a violência nas periferias e levam a morte de inúmeras pessoas.
       A política proibicionista em relação as drogas, se iniciou na década de 70 com, o presidente norte americano, Richard Nixon. Foi a partir de então que o termo "Guerra as drogas" foi usado para caracterizar o nova "situação" de combate as drogas, que tinha como principal característica o aumento da violência policial, penas mais rígidas e a equiparação de usuários a traficantes, o que na prática, lotou inúmeros presídios, aumentou a violência e o tráfico. A ineficiência dessa politica fez inúmeros países repensarem sobre o problema, procurando formas alternativas para resolvê-lo. A legalização de algumas drogas e o tratamento dos usuários, por exemplo, foram medidas mais eficazes e menos nocivas a populaçao.
      Atualmente, a guerra as drogas brasileira segue o modelo ultrapassado da guerra as drogas implantada nos Estados Unidos, com o agravante que a política brasileira visa locais extremamente pobres, causando medo, revolta e a morte de inúmeras pessoas inocentes, como crianças e agentes do estado, entre os quais, policiais e militares.
       Ir de encontro as medidas atuais de combate as drogas é essencial para o Brasil acabar com o problema. Cabe ao congresso criar leis que legalizem algumas drogas, regulamentando assim o consumo e o controle das mesmas. Além disso, o mesmo deve redirecionar o investimento em repressão policial para áreas como investigação e inteligência, impedindo que drogas e armas cheguem na mão de traficantes.Somado a isso, é dever do Ministério da Saúde criar clínicas de recuperação para usuários.