A eficiência da política antidrogas brasileira

Envie sua redação para correção
    Grandes traficantes e o território como obstáculos do controle de drogas
      Durante a Guerra do Ópio -conflito causado pela venda ilegal de ópio aos chineses- a política antidrogas da China, assim como a política antidrogas do Estado moderno, se mostrou falha. Na sociedade brasileira atual, obstáculos como a dificuldade de averiguação da entrada ou não de drogas pelas fronteiras e o fato de que os grandes traficantes não estão suscetíveis às leis dificultam ,ou até mesmo impossibilitam, práticas contra essas substâncias ilegais.
      Ao mencionar a complexidade de acompanhamento da entrada de drogas pelas fronteiras do país,reconhece-se que o Estado está muito exposto a entrada dessas substâncias ilícitas,considerando que o Brasil é o quinto maior país do mundo e que não faz limite com apenas dois países da América do Sul. Sendo assim, justifica-se,em partes, a dificuldade de controle por parte das instituições responsáveis pela fiscalização das fronteiras e,consequentemente, justifica-se a ineficiência da atuação contra as drogas no país. 
      Ademais, essa política antidrogas ineficiente tem como dificuldade a perpetuação de uma "guerra civil" entre os militares e os pequenos traficantes que,de certo modo, desfoca a busca aos "macrotraficantes" e como consequência os torna pouco expostos às leis,diferentemente do "microtraficante" que trafica na favela por considerar a venda de drogas como único meio de lucro e ascensão econômica. Um exemplo desse embate entre a polícia e os pequenos criminosos é a recente intervenção do Rio de Janeiro que tem por objetivo exterminar o tráfico de drogas local.
      Logo, é necessário que para o maior supervisionamento das áreas com divisas do país exista ampla quantidade de policiais federais, de modo que possa-se combater mais efetivamente a entrada de drogas. Além disso,é responsabilidade das instituições militares a busca por grandes traficantes que perpetuem o tráfico, sendo que o aprisionamento desses resultaria numa grande evolução para a eficiência da política antidrogas brasileira.