Desafios para reduzir os casos de assédio sexual

Envie sua redação para correção
    Na Grécia Antiga 1.100 a.C, as mulheres atenienses eram tratadas como inferiores, não podiam participar dos debates públicos e políticos. Hoje, não mudou muita coisa, embora muitas lutas conquistadas, como o direito ao voto em 1932, e a primeira Presidenta mulher do Brasil, em 2010, Dilma Rousseff, as mulheres ainda sofrem muitas opressões, tendo em vista a sociedade demarcada pelo machismo, em quê a mulher nasce pré-destinada ao casamento, nos transformando em objetos de supremacia masculina.
      A mulher é vítima cotidianamente do assédio sexual, nas ruas, nos transportes públicos, nas escolas, nas universidades, no trabalho, em casa dentro da própria família. A educação norteadora parte do convívio familiar, onde as mães por falta de conhecimento e informação, presa na barreira mental construída pelo patriarcado, onde têm o homem como ser superior, considerado o "rei do lar", o que dita as regras. Entretanto, as mulheres  tidas como "donas do lar", são direcionadas exclusivamente para cuidar dos afazeres domésticos, transmitindo essa concepção de subordinação para suas filhas, fazendo-as crescer com o pensamente de inferioridade diante do homens.
       A igualdade de gênero, adquire contornos muito tênues nas sociedades, independente do seu nível de desenvolvimento as mulheres são às que mais sofrem. Vistas perante o homem como objetos de prazer, sofrem violência verbal e sexual, duvidam até mesmo da sua capacidade intelectual,  e 80% dos casos não são denunciados. Visto quê, à uma grande escassez de delegacia para mulheres, elas  sentem-se desamparadas, pois, a maioria dos delegados são homens, e tratam a denúncia como irrelevantes, perguntando como estavam vestidas e o local que frequentava, dando a entender quê a culpa é da mulher e não do abusador. 
      Portanto, medidas são necessárias para resolver o impasse. Com criação de aplicativos para Smartphone, de modo quê a mulher possa fazer a denúncia online e ative a delegacia mais próxima, e quê o aplicativo mostre os pontos de maior concentração de casos, mapeando os locais, assim fará com quê, o governo construa mais delegacias para mulheres nesses âmbitos. Por fim, projetos sociais, como ONGs, devem promover eventos sensibilizando a população, mostrando a importância da denúncia, e junto com profissionais qualificados dando o apoio psicológico para quem sofre o abuso.