Envie sua redação para correção
    O abuso sexual contra as mulheres no Brasil e no mundo, ganhou espaço devido a hierarquia do gênero masculino, e culturas machistas medievais, que persistiram majoritariamente até o início desse século, quando as pessoas do sexo feminino em sua maioria, ainda não tinham apoio da mídia, dos meios públicos, ou, até mesmo um exemplo a se seguir.Como é o caso da atriz Angelina Jolie, que sofreu assédio do produtor Harvey Weinstein e se calou durante anos, possivelmente por medo de prejudicar a carreira, ou pior, por receio de suas alegações serem consideradas improcedentes.
     Embora o assédio sexual contra as mulheres, seja um assunto muito abordado no mundo todo, ainda existem diversos questionamentos e polêmicas em torno do assunto.Como por exemplo, o querer em abolir a cultura de "elogiar" as damas em ambiente público, o que é considerado ridicularizar, assediar e expor mulheres no âmbito coletivo. É o que afirma Ngozi Adichie em seu livro sejamos todos feministas, obra aclamada pela crítica por contextualizar, que independente do gênero, todos devem assumir uma postura contra a depreciação da figura feminina.
     De fato, as mulheres tem lutado por um espaço maior na sociedade mundial, ocasionando com que muitos se conscientizem mesmo que de maneira rebuscada de que o tempo dos assédios sexuais precisa terminar. Iniciativa também adotada em Hollywood por atrizes como Emma Stone e Shonda Rhimes, movimento chamado Time's up, que reforça a tese de que todo e qualquer assédio deve ser denunciado, independente de quem o fez.
     Sendo assim, para que os assédios sexuais contra mulheres acabe ou diminua significativamente, é preciso tomar parte do assunto e sobretudo, denunciar os abusadores, esses devem ser punidos de maneira correta e determinada pela justiça.Vale ressaltar também, que em sua maioria quem instrui os homens do futuro são as mães, portanto, as mesmas devem ensinar desde cedo o respeito ao ser humano de todos os gêneros.