Desafios para reduzir os casos de assédio sexual

Envie sua redação para correção
    Durante muitos anos as mulheres foram tratadas como objeto pelos homens, uma vez que o machismo predominava no Brasil. No entanto, durante o governo Vargas, as damas conquistaram direitos que devem ser respeitados. Dessa forma, é fundamental o combate ao assédio sexual no país, visto que esse ato desrespeita a Constituição Federal, e também amplia o medo na comunidade feminina. 
        Em primeiro lugar, é importante destacar que, de acordo com a lei a prática do assédio sexual no Brasil é crime. Entretanto, em decorrência da má aplicabilidade da justiça os agressores se sentem intocáveis. Assim, buscam sempre ampliar o número de vítimas. É inadmissível à forma como as autoridades tratam esse tipo de caso, aparentando proteger mais os infratores do que os próprios cidadãos de bem. 
        Além disso, vale ressaltar que de toda a população a comunidade feminina é a mais prejudicada. Cerca de 40% das mulheres brasileiras já sofreram algum tipo de assédio sexual, mostra uma pesquisa realizada pelo Datafolha. É inaceitável que o governo brasileiro enxergue esse tipo de dado como algo normal, ações devem ser tomadas, porém, até esse dia chegar, as moças são quem sofrem todos os dias com os assédios constantes. 
        Destarte, para que o passado fique para trás e as mulheres tenham a possibilidade de exercer todos os seus direitos, medidas são necessárias. Logo, cabe ao Governo Federal endurecer as leis que correspondem a esse tipo de crime, por meio de penas maiores e mais severas, além disso, cabe também ao Ministério da Educação discutir esse tipo de assunto dentro das escolas, colocando as senhoras violentadas para prestar depoimentos reais e emocionantes, a fim de que as crianças percebam o sofrimento que esse tipo de comportamento é capaz de gerar. Desse modo, almeja-se que a população prejudicada por esse tipo de atitude possa desfrutar de todos os seus direitos, como consta na Constituição.