Tabagismo no século XXI: problemas e consequências

Envie sua redação para correção
    O tabaco foi descoberto pelos índios da América do Sul e do Norte, é encontrado na planta de fumo, que possui dentre essa substância química, inúmeras outras extremamente tóxicas ao organismo do ser humano. Hodiernamente, tal descoberta se provou muito pejorativo no que se refere a saúde de seus consumidores. Desse modo, convém analisarmos os problemas e consequências do hábito do consumo desse composto para as sociedades contemporâneas. 
      Primeiramente vale ressaltar que, o tabagismo é uma das principais causas da contração de problemas respiratórios por parte de seus usuários. Sabe-se que, o fumo possui inúmeras substâncias prejudiciais a saúde, segundo o Doutor Drauzio Varella especialista no assunto, a fumaça derivada da combustão do tabaco ajuda a oxidar os tecidos dos órgãos, principalmente dos pulmões que são os responsáveis pela oxigenação do sangue o que pode gerar complicações no sistema respiratório, por exemplo a falta de ar. E ainda, possui nicotina um composto químico que causa dependência da droga dificicultando o seu desuso.
      Além disso, convém lembrar que, o tabagismo esta ligado a problemas de desenvolvimento socieconômico de um país. Conforme a diretora-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde) Margaret Chan o tabaco diminui a produtividade econômica e influência negativamente a seleção de alimentos consumidos pelas famílias. Aliado a isso têm-se os altos custos pelos cofres públicos investidos nos tratamentos contra a dependência das drogas derivadas do fumo.
        Em vista do exposto, medidas são necessárias para resolver o impasse. Destarte cabe ao MS (Ministério da Saúde) criar políticas que visem facilitar a acessibilidade dos tratamentos contra a dependência da droga. Ademais, cabe ao Governo promover campanhas juntamente com os veículos midiáticos com o intuito de incentivar o desuso demasiado do tabaco e informar os problemas que seu consumo causa ao organismo, para que se possa reduzir os riscos de morte na população e aumentar a qualidade de vida.