Enviada em: 14/06/2017

Na segunda metade do século XX com a terceira Revolução Industrial houve a ascensão dos meios tecnológicos, com os quais inúmeras áreas da vida humana obtiveram maior êxito de desenvolvimento. Com tal característica, o meio informacional cresceu possibilitando larga troca de informações e posteriormente maior capacidade de discussões.         Paralelo a isso, há a popularização de expressão as maiorias, o que antes era direito somente de uma pequena parcela do corpo social. Consoante o historiador Leandro Karnal essa democratização viabiliza os debates relacionados a tabus. Essas questões implicam na formação de um senso crítico por parte de quem usa as redes sociais, tendo em vista que esse interlocutor recebe uma "avalanche" de dados.         Em contrapartida, essa fluidez exacerbada de notícias e a facilidade com que elas são disseminadas causa grandes embates. Por exemplo, quando há visões diferentes de um mesmo assunto e para defendê-las se utiliza o discurso de ódio; o que nesses meios de comunicação se torna mais fácil devido a possibilidade de anonimato e a infinidade de pessoas que podem concordar e "curtir" aquele ponto de vista.      Em síntese, é notório que a ascensão das tecnologias, leia-se o surgimento da internet, facilitou a capacidade de argumentação entre as pessoas e com isso a formação do senso crítico; ou em outros casos a disseminação de discursos de ódio. Sendo assim, há a necessidade de leis mais severas por parte do estado, que punam posturas erradas em meios de comunicação; a família como primeiro habitus do indivíduo deve incentivar o uso do bom senso e a importância do respeito entre cidadãos; e a mídia como maior propagadora de informações deve utilizar-se de propagandas que excitem o respeito entre as pessoas e a importância de desenvolver um senso crítico apurado e respeitoso....