A contribuição dos avanços da medicina no tratamento de doenças

Envie sua redação para correção
    Um dos marcos da década de 80, foi o surgimento do HIV, doença causada por um vírus e transmitida principalmente por via sexual, atacando o sistema imunológico e não tem cura. Somente anos depois, devido a avanços médicos, à doença que até então tinha uma alta taxa de mortalidade, vem se atenuando. Hoje uma pessoa portadora do vírus do HIV, fazendo o devido tratamento, pode viver uma vida praticamente normal, além disso, medidas profiláticas como, preservativos, Profilaxia Pós-Exposição e mais recente à Profilaxia Pré-Exposição, vêm sido disponibilizadas gratuitamente via SUS.
           Em tempos passados, era comum diversas enfermidades não serem devidamente diagnosticadas e tratadas, por conta da precaridade dos serviços médicos, felizmente tal situação vem se revertendo. Atualmente o governo oferece tratamento gratuito via SUS para doenças crônicas como: aids, diabetes, hipertensão, etc. Além disso outros serviços e pesquisa, no que diz respeito ao tratamento do câncer, vem se aprimorando, levando a projeção que futuramente doenças como o câncer sejam controladas.
       Ademais, leis como à das patentes de medicamentos e dos medicamentos genéricos, criadas em 97 e 99, possibilitaram um maior acessos aos tratamentos, já que medicamentos  de referência costumam ser caros e somente parte privilegiada da população tem recursos financeiros para custeá-los. Além disso, a disponibilização de vacinas, contribuiu para a erradicação de doenças como a varíola na década de 80.
          Portanto, medidas devem ser tomadas para resolver esse impasse. O Ministério da Saúde em parceria com faculdades de saúde da rede pública e privada, deve criar projetos de incentivos de pesquisa e aprimoramento ao tratamento de doenças, com incentivo de bolsas remuneradas. O Ministério da Educação, deve implementar palestras periódicas em escolas da rede pública, abordando saúde pública e os serviços e direitos disponibilizados a população.