A crise hídrica brasileira e seus impactos na geração de energia

Envie sua redação para correção
    É de conhecimento geral que, com o avento das novas tecnologias na área da saúde, expandidas no século XX, a população brasileira obteve o uma redução da mortalidade infantil, paralelamente ao crescimento da expectativa de vida. No entanto, recursos anteriormente disponíveis deliberadamente, como a água, tornaram-se cada vez mais escassos para suprir o aumento do contingente populacional. Sendo assim, a crise hídrica perpetua-se em diversos âmbitos como na geração de energia elétrica, por exemplo, logo negligências de cunho político e educacional urgem mudanças no cenário.
      Em primeira análise, deve-se ressaltar que já afirmava o pensador Kant, que o homem é aquilo que a educação faz dele. Sob essa ótica, nota-se que a atual crise hídrica brasileira está intrinsecamente ligada à defasagem educacional da população, pois a escassez da água resulta de atos antrópicos, como desmatamento das florestas e poluição dos aquíferos. Portanto, a indisponibilidade desse recurso afeta o abastecimento de usinas hidrelétricas, acarretando em constates apagões nos centros urbanos.
      Vale pontuar ainda, que há dependência extrema da produção de energia elétrica em relação a água, visto que dados divulgados pela revista Época, em 2013, afirmam que a geração de energia no país advêm 70% de hidrelétricas. Nesse viés, percebe-se lastimável administração do Poder Público, pois a falta de outros mecanismos de produção sobrecarrega as  hidrelétricas, além de impactar hospitais e escolas caso não haja produção.
      Diante dos fatos supracitados, espera-se a consonância entre Ministério da Educação e Estado, tendo em vista o subsídio de palestras elucidativas, ministradas por professores, sobre os impactos sociais que a indisponibilidade de energia elétrica pode causar, além de suas causas. É preciso ainda que o Poder Público financie projetos que utilizam variadas formas de produção de energia, como eólica e solar,  no  intuito de reduzir a dependência das hidrelétricas. Ademais, espera-se que a mídia divulgue campanhas de conscientização civil sobre os benefícios de obter energia de maneira sustentável e em harmonia com o meio ambiente.