Envie sua redação para correção
    É de conhecimento geral que, sob ótica da Constituição Federal de 1988, a livre manifestação de ideologias como políticas, por exemplo, é assegurada pelo Estado à todos os cidadãos. No entanto, nota-se que a realidade no Brasil difere da legislação, visto que a intolerância entre partidos persiste gerando danos sociais. Nesse viés, manifestações violentas e discursos de ódio na internet perpetuam-se diante da problemática e, portanto, medidas drásticas de cunho político e educacional urgem na melhora do cenário.
         Em primeira análise, deve-se frisar que divergências políticas vivenciadas no país possuem raízes antigas, pois ainda no século XX a bipolaridade mundial, evidenciava uma extrema oposição entre ideologias políticas que acirrava a disputa entre capitalismo e socialismo. Análogo à isso, na atualidade percebe-se que a rivalidade entre partidos ocorre de maneira explícita em debates e discursos públicos. Sendo assim, a influencia desses políticos está intrinsecamente relacionada à discursos de ódio divulgados na internet, pelos eleitores, atingindo até mesmo a família e amigos do eleitor.
         Além disso, vale pontuar que já afirmava Talcott Parsons, que a família é uma maquina que produz personalidades. Nessa linha de raciocínio, é notório que o âmbito familiar é um fator determinante para a escolha de uma ideologia política da criança e do adolescente, logo o fanatismo de muitos  pais acaba sendo reproduzido conforme gerações. Assim sendo, a presença de jovens eleitores fanáticos que cometem inclusive agressões, como o que ocorreu nas manifestações políticas no país, em 2016, é uma realidade.
       Diante dos fatos supracitados, espera-se a consonância entre Poder Público e mídia, tendo em vista a censura e proibição, de propagandas e debates, de políticos que utilizam-se da intolerância à outros partidos em seu discurso, no intuito de minimizar a influencia dessa intolerância nos eleitores. Ademais, espera-se que o Ministério da Educação invista no subsídio de palestras elucidativas, ministradas por sociólogos, em todas as instituições de ensino no qual pais e alunos serão instruídos da importância da tolerância política, para a formação do senso crítico e escolha partidária de seus filhos.