Envie sua redação para correção
    Em 2013, uma série de protestos em todo o Brasil desencadeou um sentimento nacionalista nos brasileiros, desde então, a política passou a ser um assunto mais frequente entre a população. Como era de se esperar, essa questão foi principalmente discutida nas redes sociais, onde as divergências entre familiares e amigos ficaram mais perceptíveis. As mesmas são saudáveis para o pleno funcionamento da democracia, mas não precisa tomar proporções absurdas, como a quebra de laços entre amigos e familiares.
      Para evitar tais acontecimentos, é fundamental que haja respeito entre os indivíduos, independentemente de suas opiniões políticas serem opostas ou não. Além disso, sabe-se que as redes sociais são canais que propõem a interação entre indivíduos, assim, todos tem o direito de se expressar por meio da mesma e de terem seus direitos de liberdade de expressão respeitados.
       Entender a diferença entre externar opiniões e fazer discursos de ódio também é fundamental para a convivência, seja ela real ou virtual. Os discursos de ódio incitam violência e, de certa forma, invalidam os direitos humanos para determinado grupo de pessoas. É possível se colocar diante de determinado tema e não desrespeitar os que são coniventes com o mesmo. Para isso, é importante que se evite usar termos pejorativos ao se referir aos mesmos.
      Portanto, cabe ressaltar que, para que as relações entre indivíduos que tem opiniões diferentes sobre determinados assuntos, é importante que haja o respeito entre os mesmos. O próprio Governo Federal deve, através de propagandas televisivas, incentivar o respeito entre os indivíduos. Além de, por meio das delegacias de crimes virtuais punir crimes que possam ser cometidos em discussões, como ameaças. A escola, juntamente com a família, deve ensinar as crianças a respeitar as diferenças que existem entre as pessoas, somente assim a liberdade de expressão de todos será respeitada.