A educação como veículo de mudança na sociedade

Envie sua redação para correção
    Toda e qualquer sociedade em desenvolvimento tem como auxílio principal a educação. No Brasil, embora com números crescentes de alunos concluindo pelo menos o ensino médio, milhões de jovens e crianças ainda esperam e lutam por uma educação de qualidade. Devido aos desvios de verba destinados à educação essa luta é necessária e abandono da escola para trabalhar, prejudicando assim a sociedade brasileira, principalmente a mais pobre, sem educação que ficam à mercê da marginalização, alienação, desigualdade e preconceito.
    
                    A princípio, segundo Immanuel Kant "o ser humano é aquilo que a educação faz dele". Ele não está equivocado, considerando o índice de marginalização que crescem, principalmente, feitas devidas alienação de acompanhar a moda, ostentar e ter um status social. Essas são ilusões feitas pelos donos de meios de produção à procura de mais mercado consumidor, uma população sem visão crítica é facilmente manipulada.
    
                    Além disso, o comércio dos brasileiros com governantes corruptos que retiram o direito dos cidadãos de crescerem e se tornarem aptos a ingressar em negocio de atividades com uma boa formação acadêmica e conquistar um futuro digno ocasionado pelas escolhas incorretas na hora do voto, pois uma população sem a mínima informação vota inconscientemente ficando a margem disso. Uma pesquisa realizada pelo portal UOL com dados do IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, afirmou que cidades com maior número de analfabetos é proporcionalmente a compra de votos. No Brasil, por exemplo, vivemos um regime democrático, mas, infelizmente, somente na teoria. Os nossos administradores praticam, em sua maioria, a forma degenerada dessa que é a demagogia, pois conduzem o povo por meio de falácias, de sofismo, ou seja, de mentiras.
    
                     Diante do acima exposto, podemos concluir e entender a tese de Kant. A solução para a construção de uma sociedade igualitária é a educação. Nesse sentido, é papel do Governo Federal investir mais na educação, fornecer bolsas para os alunos sem condições financeiras, àqueles que não só estudam, mas trabalham, garantindo a permanência do jovem na escola e faculdade. É relevante ainda, que a escola e o Ministério da Educação incentivem esses a participar politicamente, por meio de palestras, discussões e debates, mostrar desde cedo as ferramentas de alienação que são usadas com a obrigação de leituras clássicas, como: o princípio, Maquiavel, e Raízes do Brasil, Sérgio Buarque. São importantes também atividades visando a criação de um olhar crítico, mostrando todos os lados das instituições bases da sociedade por meio do aumento da carga horária das disciplinas de filosofia e sociologia.