Envie sua redação para correção
    O Brasil em pleno século XXI, vive uma mudança continua de ideias e pensamentos na mente de sua população, um tempo aonde nada é permanente, todos tem que constantemente se adaptar ao meio em que vive, e tudo isso acaba desencadeando no esquecimento da cultura, da história, das experiências vividas pelos ancestrais que foi dada para o povo brasileiro com intenção de se inferir nas vidas dos mesmos e mostrar o caminho ou não a se seguir, entretanto a tecnologia e suas facilidades veio para combater de frente com este designo.
       No ano de 2017, o grande filósofo polonês morreu aos 91 anos, Zygmunt Bauman, o criador da teoria sociológica  ''modernidade líquida'', mostrando que nada atualmente é estável, ou para sempre, e que a liberdade de expressão junto com o avanço tecnológico são os grande culpados desses acontecimentos. Toda essa instabilidade desenvolveu problemas psicológicos nas pessoas, que não conseguem ter um foco ou objetivo em suas vidas, como o pesquisador Wanderlay Coto relata em sua pesquisa ''o século XXI será da psicologia'', o que se leva aparentemente num caminho sem opção, já que a tecnologia sempre chega e não se tem como impedi-la.
       O esquecimento da história brasileira vem a se tornar algo recorrente, todavia são as experiencias vividas, sofridas no passado, que ensinam a população a não cometer os mesmos erros, e buscar o que teve êxito a repeti-lo, somente assim é possível a evolução; esta vem a ser a grande força de historiadores, professores de história ou profissões do gênero, uma força que pode-se evitar, como por exemplo, um novo governo nazista, como foi o de Adolf Hitler, somente estudando a origem, a história deste acontecimento e assim funciona em todos os lugares, principalmente na cultura brasileira com sua enorme miscigenação, a união de tantos conhecimentos espalhados mundo a fora em um único lugar. A história de uma cultura brasileira pode ser o principal ''pilar'' da recuperação psicológica de seu povo.
       Entende-se que a fim de atenuar o problema da preservação e valorização da cultura brasileira, pode-se relatar como atitude de progresso, a intensificação da matéria história nos ensinos fundamentais e médios das escolas municipais e estaduais, pressionando o ministério da educação a rever a atual forma de aprendizado, destinando maior igualdade entre as matérias, além dos cuidados com os lugares de patrimônio histórico, juntamente com a cultura dos povos nativos, ajudando-os a combater o preconceito que vivenciam, e assim dar a devida importância para os antepassados do país e o patriotismo que cada cidadão deve de te do mesmo, fortificando suas mentes e as estruturando, para que então a evolução tecnológica ande junto ao respeito pela história brasileira.