A importância do movimento feminista na luta pelos direitos das mulheres

Envie sua redação para correção
    O escritor Zygmunt Bauman no livro "Modernidade Líquida" apresenta a falta de questionamento como uma falha da sociedade moderna, pois, para ele, as pessoas sentem-se absolvidas dos deveres de examinar, demonstrar, justificar a validade de suas suposições tácitas e declaradas. Nesse sentido, o pensamento do sociólogo denuncia a passividade da comunidade perante diferentes mazelas que afligem o país na contemporaneidade, tais como intolerância, corrupção e formas de violência simbólica contra minorias. Em contrapartida, o movimento feminista busca minimizar essas chagas na medida em que apresenta grande importância na luta pelo direito das mulheres, seja por um viés histórico, seja por um esforço diário de fazer valer as leis vigentes.
      Nessa conjuntura, resgatar fatos históricos pode favorecer na compreensão da importância do feminismo na luta pelo direito das mulheres. Afirma-se isso, visto que esse movimento foi responsável , por exemplo, por garantir a possibilidade do voto feminino, o que aconteceu no Brasil somente em 1932, e tornou-se constitucional em 1934, sob o governo de Getúlio Vargas. Dessa forma, é possível perceber que a organização feminista é antiga e já apresentou bastante progresso, outro exemplo disso foi a conquista do direito ao trabalho, ao divórcio e , mais recentemente, em 2006, à proteção contra a violência doméstica, através da Lei Maria da Penha.
       Entretanto, apesar das conquistas, o movimento feminista se empenha diariamente para que os direitos seja usufruídos pelas mulheres. Isso é necessário, já que , como afirma Hanna Arendt no livro "A Condição Humana", uma lei nunca limita absolutamente a ação humana, afinal "as limitações legais, nunca são defesas absolutamente seguras contra a ação vinda do próprio corpo político". Assim, a falta de empenho do Estado em validar as leis vigentes é um impasse para garantir efetivamente o direito das mulheres. Esse cenário pode ser percebido, uma vez que, apesar de haver um lei que as proteja, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada, segundo dados do Instituto Patrícia Galvão.
    
       Portanto, depreende-se que o movimento feminista é essencial na luta pelo direito das mulheres. Logo, é necessário que as escolas, como local de referência para os jovens, ensinem as crianças o respeito entres gêneros, mediante a realização de atividades socioeducativas, como a pesquise sobre mulheres importantes da comunidade científica e dos esportes, por exemplo, com o fito de exaltar o papel da mulher na sociedade, garantir a igualdade inter-gênero e demonstrar a importância do movimento feminista. Ademais, cabe ao Estado, como gestor dos interesses coletivos, efetivar o comprimento das leis, por meio de maior fiscalização e punição, com o intuito de desestimular os agressores e firmas as conquistas das mulheres.