Envie sua redação para correção
    Historicamente sempre houve na cultura ocidental uma divisão do papel da mulher e do homem, assim, essa divisão foi amplamente naturalizada, tornando o espaço masculino como superior, relacionado ao âmbito público,  e o espaço feminino a esfera privada, visto com inferioridade. Nesse sentido, as lutas feministas buscam alterar essa concepção e os papéis de gêneros impostos socialmente. Logo, compreender os fatores que levam à esse cenário é fundamental para alcançar melhorias.
          Em primeiro lugar, vale ressaltar que a violência contra o sexo feminino é um dos entraves para a igualdade de gênero na sociedade. Isso ocorre, uma vez que a agressão contra a mulher, seja ela física ou psicológica, além de ser um crime gravíssimo, fere totalmente os direitos dessa parcela da população. Para ilustrar, segundo a Central de Atendimentos à Mulher dos relatos de violência nos dez primeiros meses de 2015, 85% corresponderam a situações de agressividade doméstica e familiar em relação a mulher. Consequentemente, esse expressivo número mostra a quebra da isonomia social entre o sexo masculino e feminino o que gera a necessidade de lutas feministas para a igualdade de direitos e punição aos homens pela violência doméstica e sexual. Dessa forma, os movimentos feministas começaram no século XX, e são extremamente importantes para alcançar melhorias, no Brasil, por exemplo, esse processo obteve resultados com a Lei Maria da Penha.
          Em segundo lugar, é fundamental pontuar que existe na atual sociedade uma dominação masculina em relação a feminina. Isso ocorre, uma vez que há uma naturalização de que a mulher segundo uma predisposição biológica era mais dócil e os homens mais agressivos, assim, o sexo feminino restringiria-se a determinadas atividades. Em consequência disso, a construção social feminina imposta pela sociedade às mulheres materializa-se na perda de direitos desse grupo social, como, a falta de autonomia intelectual, perda do controle do corpo e na diferença salarial entre os gêneros. Desse modo, Simone de Beauvoir na frase "ninguém nasce mulher, torna-se mulher" busca mostrar que a condição de mulher é uma construção social, e se é moldada pode-se construir de diversas maneiras e não só as impostas pela sociedade.
          Ficam evidentes, portanto, os fatores que contribuem para o atual cenário negativo do país e a necessidade de mudanças imediatas. A sociedade de forma geral, cabe aderir aos movimentos feministas e não denegri-los, visto que são importantes para a manutenção da igualdade de direitos. Com isso, a participação social, aumentaria a visibilidade da luta feminina o que elevaria o número de políticos e propostas politicas defensores dessa causa. Dessa maneira, reduziria os casos de agressão e permitiria a liberdade social das mulheres.