A mobilidade urbana no Brasil

Envie sua redação para correção
    Com o fim da Segunda Guerra Mundial, a globalização se tornou um grande mecanismo que abrange diversas áreas e integra a vida social, econômica e política de um país. Assim sendo, o Brasil vêm progressivamente sendo congestionado nas rodovias e avenidas pela quantidade de transportes acumulado. A mobilidade urbana é sem dúvidas uma boa aliada na economia, mas traz consigo grandes problemas ambientais e sociais. 
        Ocupando a nona posição da economia mundial, o Brasil possui um sistema público de transportes acessível a todos. Contudo, a realidade é o oposta quando se trata da mobilidade brasileira. Segundo enquetes feitas com brasileiros que usam ônibus, trens e metrôs, a precariedade, a desatualização de informações e medidas que não são cumpridas são um dos fatores que evidenciam esse problema. De acordo com o dicionário, mobilidade significa facilidade para se mover, mas é o contrário do que vemos no dia a dia.
         Ainda, é importante ressaltar que nem todas as vias são pavimentadas, e menos de 10% dos municípios brasileiros tem plano de mobilidade urbana. No Brasil, as vias surgiram de forma acelerada e desordenada, fazendo com que a poluição visual, auditiva e ambiental se sobressaia nos grandes centros urbanos; o oposto do que vemos no países desenvolvidos que surgiram de forma muito bem planejada e organizada, criando grandes ciclovias e evocando a sustentabilidade.
         Dessa maneira, é importante que o governo pavimente as vias, melhore as calçadas e amplie as ciclovias em grandes centros urbanos como o caso de São Paulo. Nas mídias, propagandas de conscientização aos motoristas para que haja a minimização dos automóveis com menos passageiros. Só assim o Brasil poderia superar os problemas da mobilidade urbana.