Envie sua redação para correção
    Diferentemente da colonização do Brasil,na América espanhola,os conquistadores dividiram os territórios em vice-reinos,que depois da Independência desses países,formaram uma estrutura inicial para a formação de cidades organizadas e planejadas.Em contrapartida,a maioria das cidades brasileiras cresceram de forma desordenada,o que acarretou na crise de mobilidade urbana na contemporaneidade.Logo,é imperioso que o Estado,junto a sociedade a sociedade,adotem medidas para amenizar o impasse que atrapalha o cotidiano dos brasileiros.
          A priori,a ascensão das revoluções industriais no ocidente nos séculos XIX e XX permitiu a redução de impostos sobre os produtos industrializados.Consequentemente,no século XXI houve o aumento do número de transportes individuais,devido propagandas de raízes capitalistas,que coloca o homem como "dono do mundo" ao adquirir um carro.Prova disso,é que de acordo com o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia,entre os anos de 2002 a 2012,a população brasileira aumentou em 12,2%,e o número de veículos cresceu em 138,6%.Além disso,a má qualidade do transporte público e a dependência do transporte rodoviário para o escoamento de produtos possibilita a dificuldade de mobilidade no âmbito social.Portanto,cabe ao brasileiro implantar o conceito de mobilidade sustentável em seu cotidiano,criado pelo Ministério do Meio ambiente.Sob esse viés,deve priorizar o uso de bicicletas,metrôs e trens para diminuir o congestionamento nos grandes centros. 
          Contudo,a falta de planejamento na construção das cidades faz com que existam muitas pessoas morando nas periferias,que precisam ir todos os dias para os centros para trabalhar,geralmente necessitando de até 4 ônibus habitualmente.Em oposição,a Nova Zelândia coloca os cidadãos de baixa renda para viverem perto das cidades,por precisarem se locomover sempre.Com isso,é imperioso que a sociedade brasileira tenha como inspiração a Nova Zelândia e rompam com a realidade mostrada na música Construção de Chico Buarque,que demonstra o engarrafamento devido a morte de uma pessoa.
          Diante disso,cabe ao Ministério do Transporte junto ao Ministério das Cidades criar projetos que estimulem o uso de transporte público,como diminuir o preço das passagens e colocar o uso de vãs com melhor conforto em todos os bairros,permitindo que todos os passageiros tenham direito ao assento,e que sejam chamadas por aplicativos de celulares,para que assim os cidadãos optem por deixar seus veículos em casa,evitando a falta de mobilidade nas grandes cidades.A posteriori,cabe ao indivíduo adotar as ações dos agentes reguladores e colocar seu papel de cidadão em prática,como usar bicicletas,metrôs e o carro quando for necessário para que o direito de ir e vir previsto no Artigo 5° da Constituição seja garantido.Sendo assim,o Brasil alcançará as perspectivas das cidades europeias.