Envie sua redação para correção
    Desafio do século
          Até o século XX, era comum as pessoas saírem de casa poucos minutos antes do serviço ou de seus compromissos e rapidamente chegarem ao seu destino. Na contemporaneidade, porém, com o crescimento cada vez maior do número de indivíduos e automóveis nas ruas, essa cena se inverteu. Hodiernamente, grande parte da população é obrigada a sair com diversas horas de antecedência  para chegarem a tempo de suas obrigações, devido ao crescimento desordenado das cidades e a falta de atenção do Estado à questão.
          Inicialmente, um entrave são as grandes distâncias que geralmente separam as moradias da maioria da massa trabalhadora de seus empregos. Essas distâncias, entre outros fatores, foram ocasionadas pela chegada de grandes indústrias no Brasil durante o século passado, o que provocou o crescimento das cidades de forma rápida e sem nenhum planejamento, resultando em problemas em diversas áreas, como na mobilidade urbana. Segundo estudo realizado pelo portal G1, os habitantes da cidade de São Paulo passam em média 3 horas por dia no trânsito, em congestionamentos e engarrafamentos pela cidade. Tais dados demonstram a dimensão da adversidade enfrentada, que atinge a maioria  das pessoas dos grandes centros e já é considerada uma das piores do século XXI.
    
          No entanto, o problema está longe de ser solucionado. Outro desafio enfrentado por milhões de cidadãos que se deslocam todos os dias pelas metrópoles brasileiras é a inobservância estatal, uma vez que o governo dificilmente proporciona transportes públicos de qualidade, em um cenário onde preços abusivos e constantes atrasos tomam conta do dia a dia nas estações de ônibus e metros pelo país. Ademais, a falta de infraestrutura para meios de transporte alternativos, como a construção de ciclovias agrava ainda mais a situação, já que são raras as cidades que possuem grandes áreas interligadas por pistas exclusivas para ciclistas, o que restringe novas opções de deslocamento para a população.
          Destarte, para que os índices de descontentamento com os transportes no Brasil caiam, é necessário que o Governo Federal, em parceria com o Ministério da Infraestrutura, promova a construção de novas faixas para ciclismo nas grandes cidades de maneira a garantir novas alternativas de transporte rápidas e seguras para a população. Em adição, o Estado deve aumentar a fiscalização dos horários de ônibus e metros exercidos pelas empesas encarregadas, exigindo o cumprimento de todos os serviços especificados no contrato, a fim de que a eficiência dos transportes públicos seja melhorada, e a população possa usufruir adequadamente do seu direito de ir e vir.