A mobilidade urbana no Brasil

Envie sua redação para correção
    A Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada em 1948 pela ONU ( Organização das Nações Unidas), assegura a todo cidadão o direito de ir e vir, à liberdade, ao lazer e ao bem-estar social. No entanto, o cenário visto pela mobilidade urbana no Brasil impede que isso aconteça na prática, devido a fragilidade da infraestrutura das vias que causam o congestionamento dos carros nas cidades, como também pelo ensino que poderia intervir positivamente nesse transtorno.
     Cabe, a princípio, ressaltar uma das causas desse problema. Para o sociólogo Émile Durkheim o individuo só poderá agir na medida em que conhecer o contexto que se encontra, a saber quais são suas origens e as condições de que depende. De maneira análoga a esta reflexão, evidencia-se a necessidade que certos setores da sociedade melhorem, a exemplo das vias nas cidades brasileiras, para que o cenário visto pela mobilidade urbana mude positivamente e deixe de ferir algum direito internacional  e permita ao cidadão trafegar normalmente e com segurança.
      Ademais, é indiscutível que a educação também poderia intervir na problemática. Entretanto, ainda faltam medidas efetivas por parte das autoridades competentes para que essa conduta seja alterada. Nesse sentido, conforme o pensamento de Nelson Mandela, de que " Apenas a educação é capaz de mudar o mundo " encontra-se deturpado no país, à medida que os investimentos destinados para o ensino são insuficientes para suprir as necessidades do ensino médio e fundamental.
      Diates dos fatos supracitados, portanto, faz-se necessário que o governo em parceria com as prefeituras municipais e Ministério da Educação invista mais na infraestrutura das cidades, sinalizando mais as vias e construindo mais viadutos, assim, como também acrescentar ao currículo escolar matérias relacionados ao tema de modo midiático, por meio da internet, debates sociais e matérias jornalísticas. Nesse contexto, o intuito de tal medida servirá para amenizar o problema, permitindo um melhor trefego nas vias, conscientizar o cidadão e instigar o debate dentro das escolas.