A necessidade de debater as doenças mentais

Envie sua redação para correção
    A falta de conhecimento por parte da população sobre assuntos do consciente e subconsciente impõe questões preocupantes para com pessoas que vivem sobre desprezo, displicência ou humilhação, seja por si próprio ou por outros. O que se tem ressaltado sobre doenças mentais, principalmente, voltadas à esse público - que as possuem - é nocivo sendo um grande mecanismo de influência socioeconômica e ética.
      O crescimento e a importância do comércio gera, consequentemente, uma preocupação com a profissionalidade e a imagem do empregado. Sendo assim, a busca constante pelo ideal do trabalhador proposto pelo mercado causa mudanças pessoais, tornando-se, todavia, desconfortável e insatisfatório, comprometendo drasticamente a sua qualidade de vida.
      Com isso, o desgaste cotidiano do cidadão faz-se propício à doenças mentais. Esse malefício atinge negativamente toda a população, visto que, há um diferencial pouco notável entre expressões, como, no caso, o drama e a depressão, ocasionando assim um preconceito, e, portanto, a negligência sobre o assunto tornando-o pouco comentado e evitado ate que se torne um problema irreversível. 
       Embora se afirme o descaso com as doenças mentais na vida cotidiana, por serem confundidas com expressões. O tema já se abrange por parte da internet, onde pessoas que sofrem com casos como a ansiedade, depressão e bipolaridade, postam seus sentimentos em redes sociais e comovem ou servem de apoio para pessoas que sinta se envergonhado.
       Portanto, é possível perceber que a falta do debate às doenças mentais influencia de maneira negativa no social e econômico do país. É preciso que o ministério da educação, promova, de forma midiática, expor a importância da conscientização e a forma de ajuda para com o público. Além disso, é necessário a responsabilidade de empresas e escolas na contratação de profissionais da área psicológica, para realização de pesquisas e, se necessário de consultas particulares, com fundamento de mostrar a complexabilidade psíquica causada pelas doenças mentais.