A necessidade de debater as doenças mentais

Envie sua redação para correção
    Transtornos mentais são problemas psicossociais causados por algum fator interno ou externo ao indivíduo, gerando dificuldade de convívio e até mesmo exclusão social. Conhecidos como o mal da pós modernidade, a depressão, ansiedade e bipolaridade são exemplos desses problemas. A população afetada por esse mal, acaba sofrendo preconceito devido a falta de informação da sociedade, e não recebem o tratamento e cuidado adequado.
         Segunda a Organização Mundial da Saúde (OMS) as doenças mentais podem ser causadas por dois fatores: hereditariedade e agentes ocasionais. A predisposição genética somada ao estresse do cotidiano causam em cerca de 23 milhões de pessoas tais transtornos e afetam os relacionamentos interpessoais do indivíduo na sociedade. Estereotipados como "loucos", escolhem viver afastados e isolados por serem mal compreendidos. O preconceito começa pela falta de informação da população, que não compreende a gravidade e as limitações de tais problemas psicossociais.
         Por ser um distúrbio com causas variáveis de pessoa em pessoa, é de árduo tratamento. Ainda que tenha a mesma base de medicamentos e terapias cada pessoa depende de um método diferente. A integração da família é necessária pois é o primeiro contato social e o principal apoio emocional e psicológico. Os médicos e especialistas envolvidos tem a obrigação de esclarecer e romper com os preconceitos. Desse modo, evita-se que esses transtornos se tornem fatores de risco, podendo levar até ao suicídio.
        Sendo assim, o Governo Federal juntamente com o Ministério da Saúde deve investir e estimular campanhas de cunho socioeducativo, nas quais esclarece-se a prevenção, as causas, como tratar e ajudar o indivíduo que sofre de doenças mentais. Concomitantemente,  a produção de cartilhas e distribuição destas em hospitais e escolas, com palestras dos médicos e especialistas responsáveis nessa área da saúde ajuda a sociedade a entender, respeitar e não tratar de forma preconceituosa esses distúrbios psicossociais.