A necessidade de debater as doenças mentais

Envie sua redação para correção
    Distúrbios de ansiedade. Depressão. Nomofobia. São inúmeras as doenças mentais às quais muitos jovens e adultos, sobretudo, estão submetidos. Na contemporaneidade, tais tipos de patologia estão tornando-se gradativamente mais comuns, chamando a atenção da população e das autoridades. Diante disso, o debate sobre o assunto torna-se substancial, uma vez que o cotidiano da vida contemporânea, os padrões sociais e a internet contribuem para o aumento dos casos de transtornos mentais na sociedade.
      Segundo Freud, filósofo do século XIX, os distúrbios da mente são ocasionados, a priori, pela repressão, que é o ato de banir da consciência certos impulsos, pensamentos, traumas, tristezas. Tendo em vista os incontáveis compromissos e a correria que fazem parte do dia-a-dia da grande maioria dos indivíduos, de fato não há tempo para analisar com calma os sentimentos e as emoções particulares. Dessa forma, existe, na sociedade contemporânea, uma tendência à repressão, que tem por resultado sintomas como crise de ansiedade e nervosismo excessivo.
      Além disso, a pressão exercida pelos padrões sociais também podem favorecer o aumento do número de pessoas com doenças mentais. Cada vez mais, homens e mulheres buscam ser mais parecidos com modelos e famosos, como maneira de encaixarem-se no padrão e serem aceitos pela sociedade. Todavia, por não alcançarem o tipo de beleza desejado, muitos tornam-se frustrados e infelizes, o que contribui para o surgimento de distúrbios como a depressão. 
      E, por fim, a internet mostra-se como outro fator de importante influência em relação a transtornos mentais. Além de ser um local propício para exposição e julgamentos, o mundo virtual tem um enorme potencial de tornar as pessoas dependentes dele. A nomofobia é uma doença recente caracterizada pela crise de ansiedade que o indivíduo sofre por não ter acesso ao celular, ocasionada pelo vício em redes sociais. Assim, é possível perceber que a internet não só agrava alguns distúrbios como também contribui para o surgimento de novos. 
      Entende-se, portanto, que o contexto atual, marcado pela correria do cotidiano, pela busca por padrões de beleza e pela internet agrava ainda mais a questão das patologias mentais. Sendo assim, é essencial que pequenas e grandes empresas proporcionem acompanhamento psicológico obrigatório para todos os seus funcionários. Além disso, as propagandas midiáticas podem criar campanha de aceitação do próprio corpo e negação da imposição de padrões de beleza pela sociedade. Por último, ONGs podem especializar-se em detectar e tratar pessoas com distúrbios mentais provenientes da internet. Dessa forma, talvez, a humanidade caminhe para uma vida mais saudável.