A necessidade de debater as doenças mentais

Envie sua redação para correção
    Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 400 milhões de pessoas sofrem de problemas mentais no mundo. Apesar disso, as causas e consequencias desse problema ainda são desconhecidas por grande parte da sociedade.
        Transtornos como a depressão, que tem por causa fatores genéticos ou ambientais, como o trauma, atinge mais de 23 milhões de brasileiros, porém, mais de 75% dos afetados não têm acesso aos tratamentos adequados. Fora isso, observa-se em diversas famílias a falta de conhecimento sobre o problema, fazendo com que muitas pessoas sofram do problema sem saber, pois, acreditam ser apenas algo simples, e acabam não procurando tratamento, ou até mesmo não tendo apoio familiar. Isso mostra que ainda há grande necessidade de debate e educação sobre esses problemas dentro da sociedade, pois, além disso, se observa uma grande banalização dessas doenças, principalmente dentro das redes sociais.
        A falta de informação sobre a saúde mental ainda é grande, e, junto com a falta de tratamentos adequados, o problema só aumenta. Ou seja, grande parte da sociedade vive com alterações no sono, no apetite e falta de concentração, e isso gera outros distúrbios, como o risco de suicídio, câncer, derrame e até mesmo doenças autoimunes.
        Portanto, medidas devem ser tomadas para resolver o impasse. É necessário que o governo realize a regulamentação de leis de direito e proteção aos portadores dessas doenças, como a Lei Paulo Delgado. Junto a isso, investir mais em locais de tratamento como o CAP's, principalmente nas regiões mais pobres, onde há falta desses locais, e também, desenvolver projetos de atividades de lazer aos que sofrem do problema. Além disso, junto da mídia, desenvolver projetos de educação e conscientização dos distúrbios, por meio de campanhas e palestras. Dentro da sociedade, é importante que ocorra a integração das vítimas e acabem com o uso de termos preconceituosos que banalizam o problema.