A necessidade de debater as doenças mentais

Envie sua redação para correção
    A questão da necessidade de debater sobre doenças mentais é tratado ainda de forma irresponsável por parte da sociedade. Essa temática que deveria ser tratada com seriedade, é pouco falada abertamente até mesmo pela mídia. E lamentavelmente o preconceito contra as pessoas que convivem com transtornos mentais, ainda perdura. 
          Falar sobre doenças mentais ainda é um assunto muito delicado. Mas o fato é que são mais comuns do que se imagina. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 1 em cada 10 pessoas possui algum tipo de doença mental. E apesar da esquizofrenia ser a doença mais lembrada, o topo da lista ainda é a depressão junto com a ansiedade.
          Preconceito e desinformação: o pressuposto vem daí. O maior desafio hoje é a falta de informação que leva ao preconceito por parte das pessoas. O assunto é ainda considerado tabu e dificilmente é discutido abertamente, o que resulta em opiniões vagas e ambíguas. 
            Diante dos fatos abordados, alguns pontos devem ser levantados. O Ministério da Saúde, juntamente com a Organização Mundial da Saúde (OMS), deve abrir um canal de comunicação — como um site por exemplo — para abrir espaço para as pessoas debaterem abertamente sobre o assunto de forma abrangente e simples. E cabe as pessoas se informarem, buscarem saber mais sobre, para suprimir opiniões incertas e entenderem mais sobre esse vasto mundo.