Envie sua redação para correção
    As doenças mentais são documentadas pela ciência desde o surgimento da humanidade. Sendo considerados possuídos pelo mal ou castigados por divindades, essas enfermidades foram negligenciadas no decorrer da história, evoluíram e atingem o ser humano contemporâneo de forma preocupante e alarmante, sendo buscada na atualidade a sua compreensão.
    Segundo dados do Ministério da Saúde, em média 40% da população brasileira sofre com algum tipo de transtorno psicológico. Tendo as mais variadas causas e sintomas, os resquícios de ignorância oriunda do passado impedem que essas pessoas busquem ajuda médica. Além disso, são considerados por familiares e amigos, como fracos e dignos de pena, quando na verdade, deveriam ser apoiados e encorajados a enfrentarem seus problemas. De acordo com pesquisa realizada pelo Jornal Folha de São Paulo, 70% da sociedade brasileira desconhece os nomes, sintomas e causas das doenças mentais, consequência da falta de comunicação e debate acerca do assunto.
    Do mesmo modo, em média 80% das pessoas afetadas por essas patologias não têm acesso a um tratamento adequado, divulga a OMS. Afetando pessoas de baixa renda principalmente, o abandono e a rejeição surgem como consequência da falta de esclarecimento, aumentando a gravidade do problema nesses indivíduos e o surgimento de outros males. Segundo Augusto Cury, "o homem é fruto do seu meio, nos defeitos se encontram e na conversa se respeitam", comprovando a tese de que " um tabu quebrado é um tabu discutido".
    Dessa maneira, percebe-se a necessidade da busca da conscientização da sociedade sobre os problemas mentais. Para mudança dessa realidade, o governo através da lei, intensificar o apoio a pessoa com deficiência mental, possibilitando o aumento de postos de tratamento com profissionais qualificados, disponibilização de remédios e a proteção a esses indivíduos garantindo o livre acesso a todos os lugares, respeito e igualdade. Juntamente, as escolas, órgãos formadoras de opinião, transformar a mentalidade das crianças sobre o assunto, expondo que ser diferente é normal e todos, vivendo sua realidade, devem ser compreendidos como são. Em auxilio, a mídia, através de propagandas, jornais e novelas, expor para a sociedade os paradigmas que ainda são realidade no mundo, conscientizando que essas doenças podem ocorrer com qualquer ser humano e a busca por tratamento médico com o apoio da família e amigos são as chaves para o êxito  e uma saúde de qualidade.