A necessidade de debater as doenças mentais

Envie sua redação para correção
    Os transtornos mentais estão afetando cada vez mais milhares de pessoas e o senso comum da sociedade de que os problemas mentais não é uma doença grave é um grande empecilho para um bom tratamento destes transtornos, que tem recursos precários na saúde pública.
      A banalização das doenças mentais ocorre em grupos sociais e redes virtuais,onde fazem brincadeiras com os problemas que atinge milhares de pessoas. As paginas no Facebook deixam isso em evidencia, como a do "Vestibular da Depressão" ou "Esquizofrenilda" , espalhando a ideia de que a depressão ou qualquer transtorno mental é algo momentâneo e despreocupante.Porém, ao analisar os dados da Organização Mundial da saúde, mais de 5 milhões dos brasileiros, entre 27 milhões que sofrem por tais problemas, estão com os transtornos de moderado a grave, ficando evidente assim, a necessidade dos debates sobre as doenças mentais.
       Os centros de Apoio Psicoterapêuticos- CAPs não existem em todas regiões brasileiras, e aqueles que estão funcionando não tem a infraestrutura necessária para atender os pacientes. Os colaboradores dos CAPs, muitas vezes, não tem a formação adequada para reverter o quadro de pessoas com doenças mentais, e submetem os pacientes há tratamentos desumanos, como trancá-los nos quartos, amarrar com força as mãos ou até violência física.
      Pela escassez de debate na comunidade sobre a saúde intelectual  e de infraestrutura no atendimento para tratar das pessoas com transtornos mentais, é dever do Governo Federal promover propagandas nos meios de comunicação sobre as pessoas que sofrem por tais doenças e que são esquecidas na sociedade. Nos postos de saúde é necessário que tenha panfletos que mostrem a importância do apoio dos familiares e dos amigos às pessoas que estão atordoadas intelectualmente, exibindo que as doenças mentais é tão grave quanto o câncer. Em relação a infraestrutura precária e aos poucos Caps, é dever do Ministério da saúde exigir maiores investimentos a esses Centros de apoio, buscando  mais profissionais formados em psicoterapia e em Terapia Ocupacional para atuar no tratamento dos pacientes.Nas cidades do interior,é fundamental que tenha atendimento nos postos de saúde com psiquiátricas. E, por tudo isso, o preconceito da sociedade será dissipado e os pacientes poderá ser reintroduzidos na sociedade.