Envie sua redação para correção
    A dialética Freudiana
                 No século XX, foi descoberto não só a penicilina, como também diversos métodos de combate às doenças que atormentavam a população e levava muitas vezes ao óbito. Contudo, com o decorrer temporal, além do surgimento de novas doenças, as mesmas tornaram-se mais poderosas e eficazes, como por exemplo, surgiu a ansiedade, a depressão, a esquizofrenia, déficit de atenção, hiperatividade e outras doenças, que de fato, sua maioria é proporcionada pelo meio em que o indivíduo habita, isto é, seu âmbito social. 
              Pouco discute-se sobre as doenças mentais, no caso de Van Gogh, o pintor que representava seus pensamentos esquizofrênicos por meio de pinturas, faleceu por causa de sua loucura, e ainda nos tempos contemporâneos é marcado como um dos maiores membros do pós-impressionismo. Segundo os ideais freudianos, "a maldade é a vingança do homem contra a sociedade, pelas restrições que ela impõe", isto é, o meio social constitui um padrão imposto e completamente rigoroso, que acarreta na exclusão de membros que não se encaixam no que lhe foi imposto.
        Cabe também destacar que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de quatrocentos milhões de pessoas em todo o mundo, sofrem no mundo de alguma doença mental, tal fator acarreta diretamente em uma questão de saúde pública, e perante a tais dados estatísticos, indivíduos sociais ainda afirmam que depressão e ansiedade por exemplo são apenas uma fase e que nada disso afeta severamente o ser, expressando de forma significativa uma tremenda ignorância por parte social, julgando e apontando os defeitos alheios em demasia e evitando de fato auxiliar o indivíduo.
            Em suma, cabe ao meio publicitário enfatizar os sintomas de doenças mentais recorrentes na sociedade, difunda a importância de respeitar e atuar de forma complacente com o outro. É fundamental também que o Ministério da Saúde, difundir o número de instituições como a do CVV, Centro de Valorização a Vida com o objetivo de evitar o recorrente número de suicídios.