A necessidade de debater as doenças mentais

Envie sua redação para correção
    Combo do século  
                           Conhecida como o "mal do século", a depressão faz parte de um grupo de doenças mentais que está em evidência na última geração; porém, conquanto a doença ascendia, a sua banalização e psicofobia cresciam juntas. 
                          Bipolaridade, transtorno de ansiedade, transtorno obsessivo compulsivo (TOC), entre outros, são doenças que acompanham o cotidiano de milhares de pessoas, especialmente os jovens. Sem campanhas que estimulam o tratamento ou diálogo, o suicídio surge como grande opção. 
                       Opção essa que segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) é responsável pela maior parte das mortes de jovens entre 18 á 29 anos no mundo. Entretanto, há praticantes da chamada psicofobia que dissipam a ideia de doenças mentais serem uma farsa em busca de atenção. 
                           Estão certos, porém, quando referem-se à atenção; atenção essa que nem o governo nem a mídia nem as instituições escolares ou familiares proporcionam. É graças ao tema ainda ser tratado como um tabu que o paciente da doença não recebe auxílio necessário, e por vezes morre sem ao menos saber por quê.
                          O debate sobre as doenças mentais é o único meio da conscientização, tanto para quem sofre com as doenças, como aos que as banalizam. Esse debate deve ser promovido através das instituições de ensino e nas relações familiares; além das mídias, que tem o papel importante de divulgar a CVV (Campanha de Valorização a Vida). É necessário debater, para assim não permitir que o "mal do século" torne-se o "mal de toda uma humanidade".