Envie sua redação para correção
    "Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado de nossa miséria", diz Brás Cubas em suas memórias póstumas. Se vivo, hoje, teria percebido que acertou em sua decisão: o fato de grande parte da população banalizar as doenças mentais é um dos lados mais cruéis da sociedade. Transtornos mentais são sérios e causam graves consequências ao indivíduo. Dessa forma, fica evidente a importância da discussão acerca da problemática.
          Em sua maioria, a banalização das doenças mentais é derivada da falta de informações sobre o assunto. Para Sócrates, os erros são consequência da ignorância humana. Ou seja, tal desconhecimento leva a sociedade a um julgamento equivocado acerca da gravidade dos transtornos mentais, muitas vezes ignorando o apelo por ajuda das vítimas.
          Ademais, indivíduos que sofrem com doenças mentais precisam enfrentar diversas barreiras. Como exemplo tem-se o filme americano baseado em fatos reais "O Mínimo Para Viver" que mostra a realidade de jovens que sofrem com transtornos alimentares. Quem sofre com esse tipo de distúrbio encara diariamente a dificuldade de se alimentar corretamente, sem exageros, seja pelo excesso ou pela falta. Apesar disso, além de ficar suscetível a doenças como anemia, a vítima corre graves risco de morte.
          Logo, a fim de assistir as pessoas que sofrem com qualquer que seja a doença mental e melhorar sua qualidade de vida, fica evidente a necessidade de debater sobre a problemática e tomar algumas atitudes urgentes. A Organização Mundial de Saúde, em parceria com a mídia, deve criar uma campanha que exponha a importância do debate e tratamento dos distúrbios mentais e divulgá-la em diversos meios de comunicação, como televisão e internet, para que atinja a maioria da população. Já na esfera educacional, o Ministério da Educação deve instituir nas escolas palestras ministradas por profissionais da saúde e professores sobre a gravidade dos transtornos mentais. Assim, as doenças mentais ganharão mais visão e Brás Cubas se orgulhará do novo legado.