A necessidade de debater as doenças mentais

Envie sua redação para correção
    Negligenciada e desumana. Infelizmente, é dessa forma que as pessoas com algum tipo de doença mental são tratadas no Brasil. O livro da jornalista Daniela Arbex "Holocausto Brasileiro" retrata um manicômio na cidade de Barbacena no estado de Minas Gerais onde as pessoas eram internadas muitas sem qualquer dano mental e ali não tinham uma condição miníma de vida , além disso a sociedade juntamente com o Estado na maioria das vezes fingiam não ver e saber daquela situação.Enfim, é urgente que o debate sobre as doenças mentais e como as pessoas com essas doenças devem ser tratadas seja feito de forma aberta e progressiva com a sociedade brasileira.
    Segundo a ONU(Organização das Nações Unidas) no Brasil cerca de 23 milhões de pessoas sofrem algum tipo de transtorno mental. Tal número é preocupante, devido ao sofrimento causado por essas doenças, a forma como os brasileiros não doentes lidam com o problema e o tratamento inadequado que a saúde pública disponibiliza. É lamentável que seja comum encontrar em redes sociais páginas como "Medicina da Depressão" e "Garota Bipolar" e até músicas que falam de forma pejorativa desses transtornos, haja vista que estas situações refletem a banalização do problema  , como consequência diminui a seriedade e a dor das pessoas doentes.
    Em seguida, a Lei de número 10.216 do ano de 2001 que aborda sobre os direitos e a proteção das pessoas com transtornos mentais e pede a modificação do modelo assistencial de saúde mental, pode ser considerada um importante avanço, porém esta lei ainda não foi regulamentada. Outrossim, é necessário e inadiável que esta lei seja regulamentada, visto que o país não apresenta um plano de saúde pública adequado que atenda aos profissionais e pacientes da área psiquiátrica, como também para evitar que casos como o manicômio de Barbacena aconteçam novamente.
     Dessa forma, urge-se que medidas sejam tomadas a fim de tornar o debate sobre doenças mentais universal e cotidiano. A priori, a mídia através dos programas de televisão e campanhas publicitárias deve abordar as doenças mentais por meio de explicações de médicos psiquiátricas e também entrevistar pessoas com essas doenças, para que a sociedade veja e saiba como agir da forma correta. Ainda mais, o Estado deve regulamentar a lei 10.216 e assim ampliar o atendimento aos doentes mentais por meio da melhoria das instalações dos hospitais psiquiátricos, disponibilidade maior de medicamentos e também de profissionais qualificados. Logo, as doenças mentais serão respeitadas e entendidas por toda a sociedade.