A persistência do “jeitinho” na sociedade brasileira.

Envie sua redação para correção
    Procurar sempre se dar bem, trapacear sem importar-se se o outro será prejudicado -- O jeitinho brasileiro é conhecido no mundo inteiro. Além do mais, ética e decoro são assuntos considerados irrelevantes nas terras dos tupiniquins, visto que, até o cenário político nacional é repleto de escândalos de corrupção.
     Segundo pesquisas realizadas pela revista espanhola El País, 65% dos europeus veem os brasileiros como "gente mal educada", reduzindo a nação verde e amarela sempre à samba e carnaval. Além disso, devido a generalização, muitos brasileiros sofrem discriminação no exterior. "Fui à Itália, quando percebiam que eu era do Brasil, as pessoas me hostilizavam, me olhavam de cima pra baixo" relata turista.
     No entanto, deve-se levar em consideração as raízes da cultura brasileira, boa parte herança da colonização portuguesa. Quando o Brasil ainda era colônia, foi extremamente saqueado e explorado pelos portugueses dos quais trouxeram seus "maus costumes", escravizando os índios e oprimindo os negros escravos para satisfazer seus desejos de poder  sempre "se dando bem à custa da ingenuidade alheia".
     Portanto, a persistência do "jeitinho" na sociedade brasileira advém da sua cultura. Cabe então ao Estado elaborar políticas públicas, isto é, a valorização da ética e do decoro na convivência social, através de profissionais capacitados atuando no ensino primário e também por palestras para os pais das crianças aprenderem a importância de tal fato, a fim de mudar esse esteriótipo cultural nacionalmente e internacionalmente formando uma nação exemplar e rica culturalmente.