A persistência do “jeitinho” na sociedade brasileira.

Envie sua redação para correção
    Na telenovela brasileira "Cama de Gato", o personagem Amadeu se utiliza do amigo Carlos, que trabalha na lotérica, para pagar suas contas de maneira rápida, ultrapassando as pessoas que já esperavam na fila. Analogamente, fora da ficção, tem-se os meios ilícitos utilizados para acelerar determinado processo ou ação ou mais conhecido como "jeitinho brasileiro", reflexo de um país não desenvolvido, consequência da ausência de sensibilidade social. Ademais, tal fato acaba afetando o cotidiano de cidadãos corretos.
          A priori, pontua-se sobre a falta de sensibilidade social entre os indivíduos na modernidade, já que muitas pessoas se utilizam de privilégios para terem vantagens incorretas sobre outras, como furar a fila no supermercado e  conseguir benefícios por possui relação com algum funcionário. Tal fato se correlaciona com a assertiva do filósofo engajado em questões sociais, Zygmunt Bauman, esse afirmava que a sociedade moderna está em liquidez, ou seja, mais escrava de seus interesses, dependente dos meios tecnológicos e cada vez menos empática. Nesse contexto, fica nítido a presença do individualismo presente de forma desenfreada hodiernamente, dessa forma, tais ações são condizentes com a corrupção enraizada desde a colonização por volta de 1500 e se transformam em motivos de discussões groseiras, que podem privar alguns cidadãos de seus direitos.
    
          Outrossim, tem-se o impacto de tais ações na vida de outros sujeitos como um dos colaboradores para extensão da problemática. Um quadro realizado pelo programa televisivo "Fantástico", mostrou em prática o caso de Lucilene Alves, uma idosa que esperava a vaga para realização de uma cirurgia há 3 anos pelo SUS, quando chegada sua vez o diretor pôs um colega à sua frente, o que fez com que Lucilene morresse devido a falta de cuidados. Nesse sentido, fica claro descaso social com o bem-estar dos outros indivíduos,uma vez que, embora pareça ações insignificantes e equidistantes do cotidiano real de outras pessoas, podem acabar afetando tanto a saúde física,como no caso de Lucilene Alves, quanto sua saúde mental e desencadear problemas psicológicos, como depressão e bipolaridade.
    
          Portanto, para conseguir reduzir a utilização do "jeitinho" hodiernamente, é necessário que o Ministério da Educação juntamente com os veículos midiáticos devem elaboras programas e campanhas socioeducativas que abordem os impactos negativos de atos ilícitos para obter vantagem sobre outras pessoas, tais campanhas serão disseminadas nas redes sociais, como Instagram e Twitter, e nas instituições educacionais, estas serão financiadas por meio de parcerias com instituições privadas, como bancos e multinacionais, com o finto de sensibilizar toda sociedade sobre o tema. Somente assim, a realidade brasileira distanciar-se-á da ficção de "Cama de Gato".