Envie sua redação para correção
    Devido à grande miscigenação do Brasil, com diversas etnias e povos distintos, juntamente com o entrelaçamento dessas culturas começou a surgir, assim, o famoso e persistente "jeitinho brasileiro", que consiste em usar variadas artimanhas para benefício próprio. Desse modo, com esse estilo de se resolver impasses, sérios problemas surgem para a sociedade, seja na esfera social do cotidiano, seja no mundo da política.
    
    A princípio, em levantamento do Índice de Percepção da Lei, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), 79% da parcela de entrevistados dizem que sempre é possível optar pelo "jeitinho" ao invés de obedecer as leis. Acerca disso, é perceptível que essa forma de agir traz consequências graves para a população, como exemplo, o descumprimento de leis que garantem a segurança pessoal e de terceiros ou, normas que protegem o meio ambiente. Porém, não é só a legislação que os indivíduos burlam, na esfera do trabalho muitos funcionários honestos são prejudicados por outros que são corruptos e que adotam o "jeitinho" para progredir na empresa e no mercado.
    
    Ademais, o "jeitinho brasileiro" está presente também na política brasileira. Logo, desde o início da república no Brasil com Deodoro da Fonseca em 1889 e, até os dias remanescentes, a corrupção em prol do benefício próprio está atuando nos setores públicos. Dessa forma, a corrupção inicia-se nas eleições coma compra de votos, posteriormente muitos dos candidatos eleitos desonestamente levam o "jeitinho" aos poderes Legislativo e Executivo e, dessa maneira, surgem os escândalos de corrupção e formação de quadrilha. Assim, convivemos com governos que, infelizmente, chegam a desviar o pouco que é investido em setores primordiais do país como, saúde, educação e segurança pública, prejudicando imensuravelmente a população.
    
    Portanto, é visível a necessidade de se repensar a consequências do "jeitinho brasileiro". Sendo assim, cabe ao Governo Federal, junto ao Ministério da Educação, combater, buscando alertar e conscientizar a sociedade sobre as implicâncias do "jeitinho", por meio de parcerias com universidades e escolas para que seja promulgada uma série de palestras nesses locais, mostrando aos alunos, através de professores de Sociologia e especialistas em Ciências Sociais, em fatos e dados ,semelhantes ao da FGV, os estragos que esse tipo de corrupção traz para todas as camadas da sociedade do país. Por fim, visando, dessa forma, que esses alunos se conscientizem em relação ao "jeitinho brasileiro" e que possam realizar mudanças em nossa atual sociedade, respeitando leis e, pressionando a classe política brasileira, cobrando honestidade e respeito para com todos.