A presença do sensacionalismo no jornalismo brasileiro.

Envie sua redação para correção
    Getúlio Vargas, presidente do Brasil durante meados do século 20,  utilizava da imprensa com intuito de fortalecer sua imagem política e controlar as criticas ao seu governo, através do DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) . Análogo a tal postura, o sensacionalismo tem se feito presente no jornalismo brasileiro, com o intuito de expandir a quantidade de telespectadores ou influenciar diretamente os indivíduos e suas concepções.
    Em primeiro plano, é importante ressaltar que os meios midiáticos fazem parte de uma intensa rede de propaganda, sendo assim uma fonte de lucro e prestígio. Tendo isso em vista é importante salientar que é essencial para os jornalistas e grandes corporações que suas matérias e programas possuam grande número de visualizações e para alcançar tal objetivo muitas vezes são utilizadas de técnicas como o "clickbait", ou seja, utilizam de títulos sensacionalistas e chamativos afim de aumentar o tráfego de pessoas em seus veículos midiáticos e alavancar a renda da companhia jornalistica.
    Paralelo a isso, o sensacionalismo no jornalismo brasileiro pode ser uma ferramenta muito eficaz na manipulação do comportamento da sociedade. Tendo em vista que cerca de 60% dos brasileiros acreditam nas informações que circulam na imprensa brasileira (pesquisa realizada pelo Instituto Reuters) para a disseminação de notícias falsas ou manipuladas pode influir no comportamento do individuo de forma incisiva, acarretando inúmeras consequências prejudiciais ao convívio social.
    Em suma, são necessárias medidas que atenuem o sensacionalismo no jornalismo brasileiro. Logo, a fim de conscientizar os profissionais da área é necessário que o Estado, através do Ministério da Educação, introduza nas universidades matérias de ética jornalistica. Além disso, é fundamental que os cidadãos desenvolvam o hábito  de investigar as informações que lhes rodeiam, por isso, a Secretaria Especial de Comunicação Social desenvolva campanhas e palestras com o intuito de instruir as pessoas a identificar notícias falsas e manipuladas.