Enviada em: 28/05/2017

delinquente bom é delinquente re-inserido na sociedade                         A questão que dialoga diretamente com a maioridade penal dialoga diretamente com os ideais de Pierre de Bourdieu, visto que, segundo o mesmo, o crime é o produto dos excessos sociais, isto é, como no atual cenário brasileiro há casos de violência urbana causada por menores de idade, isso remete não só a questão de organização social, mas também, a questões educacionais.         Primeiramente, é fundamental salientar que, a redução da maioridade penal não irá resolver a atual questão em debate, haja vista que, de acordo com o atual contexto nacional, não se é viável para o Estado e muito menos para o ambiente social, o aumento do número de carcerários, sendo que, o números de membros que pertencem ao ambiente prisional já é exacerbado. Perante um meio social que visa que o jovem delinquente age de tal maneira devido ao seu caráter pessoal, deixando às margens a concepção de Durkheim da coercitividade social.          Diante disso, cabe ainda destacar que, a atual administração que infere a questão do sistema ECA, já atua como método por interseção do instituto CASA, que atua diretamente na reabilitação e educando o jovem a reinserir-se na sociedade, atuando de forma eduacativa como o trabalho comunitário, aulas de música, atividades físicas, aulas de cidadania e ética, fatores que de fato acarretam em um melhor condicionamento juvenil. O instituto é destinado à jovens com menos de 18 anos que foram corrompidos pelo sistema social da violência. Diante disso, é fundamental destacar que, traficantes maiores de idade que comandam o tráfico geralmente apropriam-se de jovens mais novos com o objetivo de atuarem em momentos de entregas de drogas, tendo em vista que os mesmos não serão punidos devidamente. Todavia, a punição dada aos mesmos é baseada numa educação que diante os aspectos hodiernos pode, de fato, mudar a vida de tais indivíduos.              Descartes acreditava que não há métodos fáceis para combater difíceis questões, sob tal perspectiva, cabe ao Ministério da Educação investir em métodos como aulas de filosofia, sociologia, culturas e relações sociais, com o objetivo de mudar a mentalidade de indivíduos que visam a vida do crime como um método mais fácil de prosperar-se perante ao meio social contemporâneo. Cabe também ao Estado investir em demasia na fundação CASA do ECA, com o objetivo de atuar de forma decisiva no comportamento e nas atitudes de tais jovens. Como já mencionava Isaac Newton em suas leis, um corpo que se encontra em repouso tende a permanecer no mesmo, o que dialoga diretamente com a questão da sociedade exigir mudanças, caso contrário, permanece-se na inércia contemporânea.