Enviada em: 20/06/2018

Na música "Bro", o rapper Raffa Moreira explicita a seguinte frase no trecho da canção "Bro, faz sol, camisa da Fernvndx Clothing, óculos do Kurt Cobain, Double Cup, Sprite, Codein.". Apesar do difícil entendimento, esse trecho demonstra muito sobre a realidade brasileira quanto ao consumo da cultura "gringa", que vem desvalorizando tradições regionais e nacionais. Nesse sentido, a relação do brasileiro com a própria cultura vem gerando debate, visto que a Indústria Cultural vem tomando espaço das raízes do país comercializando costumes divergentes e alienando através dos meios de comunicações.          Em primeiro plano, a Indústria Cultural é um dos principais fatores que ofuscam a cultura brasileira, á vista disso, a chamada cultura de massas vem modelando hábitos para se comercializar mundialmente. Dessa maneira, a relação dos brasileiros com a própria cultura não é das melhores, uma vez que essa indústria tenta alienar o máximo para conseguir lucrar. Isto posto, segundo o sociólogo Adorno, a mídia tira a liberdade de pensamento do telespectador, forçando imagens, muitas vezes, errôneas, ou seja, essa franquia usa o artifício de superiorizar comportamentos os tornando mais "modernos", deixando a entender que as demais culturas são ultrapassadas. Logo, ser o primeiro a assistir a um filme ou uma série americana, adquirir uma roupa de marca européia ou uma tecnologia asiática é muito mais atrativo do que consumir artes regionais ou nacionais, como filmes, literaturas, músicas, exposições, teatros e objetos artesanais.            Ademais, de acordo com Folha de São Paulo, cerca de 58% dos entrevistados admitem ter feito alguma atividade cultural, entretanto, 80% destes consomem apenas música e cinema. Dessa forma, de acordo com a pesquisa, menos de 10% dos brasileiros vão a exposições de artes, a teatros, a musicais e consomem artesanatos ou literaturas. Por conseguinte, cai-se no esquecimento o que é produzido culturalmente no Brasil, posto que, com a geração atual esse número tende a diminuir cada vez mais, pois a alienação da tecnologia tomou lugar de qualquer pensamento crítico sobre a temática, forçando cada vez mais esse distanciamento do brasileiro e sua cultura.             Entende-se, portanto, que o Estado deve promover e incentivar a aproximação dos cidadãos com a própria cultura. Sendo assim, cabe ao Ministério da Educação, junto ao Ministério da Cultura, por intermédio da obrigação de atividades extracurriculares, adicionar o ensino cultural nas escolas de ensinos fundamental e médio, através da leitura de livros, de visitas aos teatros e exposições, a apreciação de filmes e músicas nacionais e regionais dentro das escolas, para que haja a formação da cidadania e sua identidade cultural. Desse modo, a influência de outras culturas devem ser apenas para absorver conhecimento, sem que suas raízes sejam afetadas ou enfraquecidas.