Enviada em: 03/09/2018

O cultivo da identidade A construção cultural, como um processo constante, se torna uma imagem de um povo, unindo seus conhecimentos, tradições, folclore, arte e outros aspectos para se tornar uma identidade. A etimologia de cultura vem do latim, significando "tratar ou cuidar, cultivar". Porém, será que existe um tratamento e cultivo da cultura no país? Como o Brasil, um país com uma alta diversidade de povos, valoriza essas culturas diferentes? Nesse aspecto, ao se analisar o incêndio ocorrido no Museu Nacional no Rio de Janeiro, o qual segundo a instituição gerou a destruição de 20 milhões de itens e 200 anos de História e cultura, bem como analisar a parcela irrisória da participação cultural no PIB, que segundo o Atlas econômico da cultura brasileira não passa da casa dos 4%, fica claro o descaso e a falta desse cultivo a ela. Não obstante, o Brasil possui uma alta pluralidade de povos e, consequentemente, de identidades culturais. No entanto, também sempre houve uma segregação, onde determinadas manifestações de certos povos eram consideradas superiores as de outros. Nesse sentido, este processo gera a massificação e perda do patrimônio imaterial, como pode-se citar o carnaval, trazido pelos portugueses, o qual ainda na atualidade é uma das representações culturais mais famosas do país, enquanto por outro lado da mesma festa, a umbigada, dança de origem quilombola que foi uma das que deu origem ao samba, foi considerada profana e proibida no século XIX; A dança foi massificada e comercializada através do samba enquanto grande parte de sua história, tradição e identidade eram perdidas. Por fim, utilizando-se do ministério da cultura, é dever do estado preservar e resgatar a memória cultural perdida e reprimida. Com a criação dos memoriais dos povos, instituições responsáveis por armazenar documentos e registros, materiais e imateriais, sobretudo de indígenas, ribeirinhos, afro-americanos e quilombolas, é possível plantar essa cultura para as futuras gerações, que irão cultivar e cuidar dessa tão rica identidade.