Enviada em: 07/09/2018

Brasil, um país de todos.       Durante muitos anos de nossa história, a capoeira foi vista como um crime, pelo simples fato de ser derivada de uma cultura negra. Entretanto, ao analisar o Brasil hodiernamente percebe-se que ainda há uma relação conflituosa entre o mesmo e sua cultura. Depreende-se, portanto, que medidas devem ser tomadas para erradicar tal problemática.      O Ministério da Cultura, órgão de maior responsabilidade sobre a questão cultural de nossa nação, tem o dever de conservar quaisquer dimensões simbólicas enraizada em um grupo social. Contudo, o baixo investimento e o descaso governamental tem levado a uma precarização de monumentos, fator que se mostra evidente nas pichações de estatuas e prédios históricos, além de a destruição de museus, bibliotecas públicas e institutos de pesquisa.      O sociólogo Herbert José de Souza afirmou que a cultura é um importante motor para a mudança de um país. Todavia, ao se analisar na prática, por conta de um caráter de rastilho histórico, percebe-se que intolerância para as diferenças culturais ainda persistem em nossa nação, no qual casos de discursos de ódio e etnocentrismo são frequentemente relatados pelas mídias sociais.      Urge, portanto, fazer com que essa relação conflituosa seja erradicada. Cabe as escolas difundir a importância da conservação de monumentos e a tolerância cultural, por meio de palestras e debates, além de atividades interativas com apresentação de aspectos sobre os diferentes costumes de nosso pais, para que as crianças e jovens possam ter um contato maior com as mesmas, evitando assim a supremacia cultural. Ao Governo Federal, por sua vez, compete investir de forma igualitária em seus Ministérios, para que nenhuma parcela seja esquecida ou menosprezada.