Enviada em: 08/08/2019

A valorização do esporte feminino no Brasil             No ano de 2019, ocorreu a Copa do Mundo feminina de Futebol, este evento conseguiu mostrar que muitas pessoas ainda tem um certo preconceito com mulheres praticando esportes profissionalmente. Mesmo com o cenário esportivo feminino crescendo cada vez mais, esses pensamentos continuam.             Em 2015, a jogadora de futebol Marta conseguiu passar Pelé, maior artilheiro da Seleção Brasileira até então, em número de gols feitos pela equipe. Mesmo assim, poucos a reconhecem por isso. Isso ocorre devido a falta de recursos, como a visibilidade e patrocínio, no cenário brasileiro feminino de futebol. Outro motivo é uma questão histórica, visto que, antigamente, as mulheres eram destinadas às tarefas domésticas. Esse pensamento continua até hoje, porém em menor escala.        Outro exemplo de desvalorização da participação feminina nos esportes do Brasil, foi no artigo 54 do Decreto-lei 3199, aplicado durante o governo de Getúlio vargas. Esse decreto, que durou 39 anos, proibia mulheres de participar de atividades esportivas incompatíveis com sua condição física. Estes são obstáculos no caminho da igualdade esportiva no Brasil.        Se quisermos superar estes problemas, temos que ser ensinados desde pequenos a evitarmos pensamentos retrógrados sobre e o assunto, e além disso, leis deveriam existir para que associações esportivas investissem no esporte feminino.