A valorização do esporte feminino no Brasil.

Envie sua redação para correção
    No filme "Boa de briga", a personagem Michelle Rodriguez resolve dirigir toda sua força e raiva para o boxe, mediante todo o preconceito e dificuldades, ela prova que é capaz. Diante disso, pode-se observar, a relevância das mulheres nas modalidades esportivas, não só em grandes competições, como também em jogos comuns, no qual cada país têm suas próprias guerreiras. Contudo, o preconceito contra as atletas e profissionais da área é muito presente, além da pouca visibilidade e falta de patrocínio, pelo seu gênero. Por isso, torna-se fundamental o debate acerca da luta da valorização do esporte feminino.
    Em principio, cabe analisar o crescimento da participação das mulheres nos Jogos Olímpicos, desde do ano de 1960 até os dias atuais. A presença de mulheres nas modalidades esportivas está crescendo, todavia, o preconceito não diminui. Segundo o relatório '' Movimento é vida", do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, no país a pratica de exercícios físicos por mulheres é 40% inferior aos homens. O índice mostra que a grande desigualdade entre os gêneros ocorre há décadas no Brasil, com forte destaque em meados da ditadura militar, uma vez que nessa época, a modalidade feminina era proibida por Getúlio Vargas quem governava o país. Esta desigualdade tem grandes consequências, pois mesmo ocupando o mesmo cargo, a seleção masculina recebe um salário maior.
    
    Ademais, o falho sistema de patrocínio e visibilidade contribui para a ocorrência do problema. Enquanto o esporte feminino não for tratado como "esporte de alto nível", o esforço intensivo das atletas não terá o reconhecimento merecido. Como exemplo, a mídia dificilmente exibe jogos comuns do futebol feminino, visto que a relevância é dada apenas em Jogos Olímpicos e Copas Mundiais, essa situação acontece também com as outras modalidades do gênero.
    
    Entende-se, portanto, que é necessário que a população aprenda a valorizar cada vez mais o esporte feminino. Desse modo, cabe à impressa e a mídia produzirem matérias, com o  intuito, de divulgar as boas iniciativas e a importância da modalidade feminina, consequentemente, uma forma de acabar com a presente falta de credibilidade e preconceito do gênero. Ao longo do tempo, as mulheres conquistaram bastante no campo esportivo, falta a mídia acompanhar essa luta e respeitar as mulheres como atletas.