Envie sua redação para correção
    A chegada das mulheres no futebol, foi uma renovação para o esporte e vem crescendo cada vez mais, mas tem a parte do preconceito que ainda existe e efetivamente. Porém, está despertando cada vez mais pessoas, por causa do reconhecimento da figura feminina no esporte. 
          Nessa situação, adequa-se destacar a luta das mulheres contra o preconceito, na vida social e na esportiva. Segundo o site observatorioracialfutebol.com, a falta de segurança, o preconceito, a falta de incentivo nas escolas, são fatores que devem ser apontados quando se constata que o esporte no Brasil não tem o mesmo acesso por meninos e meninas. Em 2016, no município de Campinas, as pessoas matriculadas em projetos financiados com verba pública, aproximadamente 84% são meninos e os demais são meninas. Contudo, cabe ressaltar que tem uma grande e exagerada desigualdade de acesso das mulheres ao esporte. 
          No entanto, verifica-se que, com o passar dos anos, o esporte feminino está atraindo cada vez mais o público. Conforme uma entrevista do site observatoriog, com a jogadora portuguesa de futebol feminino, Jéssica Silva, a qual afirmou que ainda falta muito caminho a ser percorrido para que o esporte chegue a ser respeitado como no caso da modalidade masculina. Conclui-se, que a força das mulheres para que acabe com o preconceito, está cada vez mais atraindo a população. 
          Logo, para diminuir o preconceito, as escolas precisam ensinar para as crianças e para os jovens, o respeito às mulheres e que elas têm que ter o mesmo direito dos homens no esporte. Podendo também, fazer palestras e campanhas em sites ou blogs. De acordo com o pensador Henry David Thoreau, "nunca é muito tarde para abandonarmos nossos preconceitos".